EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Apoio da UE na questão catalã

Apoio da UE na questão catalã
Apoio da UE na questão catalã Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2019 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2019 The AP. All rights reserved.
De  Jaime Velazquez
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O apoio dos 27 é importante para os dois lados da questão, e este será um dos temas centrais das próximas eleições europeias.

PUBLICIDADE

Primeiro foi o pedido de ajuda para a Catalunha feito pelos apoiantes pró-independência, depois do referendo de 2017. Agora é o pedido de ajuda para Espanha, que chega da oposição à lei de amnistia.

O apoio dos 27 é importante para os dois lados da questão. Para além do debate nas instituições e do caminho que poderá ter nos tribunais, será muito importante a conquista das mentes e dos corações da opinião pública europeia. A narrativa em torno da questão catalã será um dos temas centrais das próximas eleições europeias.

"Há uma batalha pela narrativa, é verdade. E as eleições europeias estão mesmo ao virar da esquina. O campo de jogo vai deslocar-se para Bruxelas? Muito provavelmente sim. Se Isso vai ter algum efeito por parte das instituições europeias? Nenhum, absolutamente nenhum”, considera Manuel de la Fuente, especialista da Harmon Consulting.

O facto do Governo espanhol reconhecer, na lei da amnistia, a existência de um conflito político na Catalunha reforça a tese pró-independência.

Miquel Royo, o Secretário para a Ação Externa do Governo da Catalunha, sublinha que a prioridade do atual presidente catalão é colocar a região de novo na linha da frente da agenda europeia e garantir que a mensagem é clara e que este é um conflito político “ E agora, começamos a segunda parte da nossa negociação, que é o facto de os catalães quererem decidir o seu próprio futuro”, destaca.

Mas a União Europeia tem outras prioridades, principalmente a ascensão da extrema-direita e do euroceticismo. 

Bruxelas precisa de todo para para fazer frente os inimigos do bloco.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turismo de massas em Espanha: as Ilhas Baleares estão a afogar-se?

Porto Rico pode vir a fazer parte de Espanha? Este é o objetivo de uma nova associação

O que está por trás da última polémica de Milei com o governo espanhol?