EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Exército israelita anuncia retirada de cinco brigadas de combate de Gaza

Ataques israelitas resultaram em 28.822 mortos e desaparecidos em Gaza. Cerca de 9.100 eram crianças
Ataques israelitas resultaram em 28.822 mortos e desaparecidos em Gaza. Cerca de 9.100 eram crianças Direitos de autor Mohammed Dahman/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Mohammed Dahman/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As Forças de Defesa de Israel anunciaram a retirada de cinco brigadas de combate de Gaza. ONU alerta que palestinianos estão em risco de fome.

PUBLICIDADE

As Forças de Defesa de Israel anunciaram a retirada de cinco brigadas de combate que têm participado na ofensiva terrestre em Gaza.

Em causa estão três brigadas de treino e duas brigadas de reserva.

De acordo com a imprensa israelita, os ajustes no número de militares estão a ser feitos em preparação para 2024, um ano em que os combates devem continuar apesar da pressão internacional e das acusações de genocídio de palestinianos em Gaza.

"As Forças de Defesa de Israel atuam da forma mais moral possível. Fazem tudo o que é possível para evitar ferir civis, e o Hamas faz tudo o que é possível para prejudicá-los, usando-os como escudo humano", acusou o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

Pelo menos 100 pessoas morreram e 286 ficaram feridas em ataques israelitas no centro de Gaza nas últimas 24 horas, de acordo com o Ministério da Saúde, liderado pelo Hamas.

O Hamas diz que registou 1.825 "massacres" às mãos do exército israelita nos últimos 85 dias no território sitiado.

De acordo com o último balanço, os ataques israelitas resultaram em 28.822 mortos e desaparecidos. Cerca de 9.100 eram crianças.

Partes do pátio do Hospital Al-Shifa, na cidade de Gaza, tornaram-se um cemitério. A área próxima ao hospital testemunhou ataques intensos desde o início da guerra Israel-Hamas em 7 de outubro.

Dezenas de palestinianos deslocados receberam refeições preparadas em Rafah no domingo.

A guerra desencadeou uma crise humanitária. Neste momento, um quarto dos habitantes de Gaza está em risco de fome, segundo as Nações Unidas. Apenas 10% dos alimentos necessários para os 2,2 milhões de habitantes do território entraram em Gaza nos últimos 70 dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Israel ataca dois campos de refugiados no centro da Faixa de Gaza

Israel admite que ataque que matou mais de 80 pessoas em campo de refugiados foi "erro lamentável"

Israelitas querem explicações sobre frase de Netanyahu: "Reféns não estão a morrer"