EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Antiga ministra da era Sarkozy é grande surpresa na remodelação governamental de Attal

Rachida Dati, uma figura da direita parisiense, foi a grande surpresa entre os rostos do novo executivo liderado por Gabriel Attal
Rachida Dati, uma figura da direita parisiense, foi a grande surpresa entre os rostos do novo executivo liderado por Gabriel Attal Direitos de autor AP Photo/Michel Euler
Direitos de autor AP Photo/Michel Euler
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rachida Dati é grande surpresa na remodelação governamental em França. Vários ministros do governo cessante foram reconduzidos nos cargos no novo executivo de Gabriel Attal.

PUBLICIDADE

Rachida Dati, ex-ministra da Justiça durante o mandato presidencial de Nicolas Sarkozy, foi nomeada ministra da Cultura num regresso às lides governativas, agora sob a gestão do Presidente Emmanuel Macron e do primeiro-ministro Attal.

Dati, que até aqui desempenhava funções enquanto autarca no município de Paris pelo partido conservador Os Republicanos, é a grande surpresa entre os novos rostos do novo governo liderado por Gabriel Attal.

O novo executivo do primeiro-ministro francês foi anunciado na quinta-feira com apenas uma grande mudança no Ministério dos Negócios Estrangeiros e vários "pesos pesados" do governo cessante reconduzidos nos cargos.

O eurodeputado francês e líder do partido Renaissance, Stéphane Séjourné, vai assumir a pasta dos Negócios Estrangeiros, sucedendo a Catherine Colonna.

Séjourné é também ex-companheiro de Attal. O primeiro-ministro francês, que assumiu publicamente a homossexualidade há varios anos, tornou o relacionamento público quando integrou o governo de Macron em 2018.

Nenhum dos dois confirmou a separação, mas na declaração de interesses à Alta Autoridade para a Transparência dos Cargos Públicos, que compila declarações de altos funcionários para registar potenciais conflitos de interesse, Attal declarou não ter companheiro.

Entre as figuras do anterior executivo, chefiado por Élisabeth Borne, agora reconduzidas nas respetivas pastas, estão Bruno Le Maire, como ministro da Economia, e Gérald Darmanin, como ministro do Interior.

Outros responsáveis que se manterão nos cargos são Sébastien Lecornu, à frente do Ministério das Forças Armadas, e Eric Dupond-Moretti, na pasta da Justiça.

A ministra do Desporto, Amélie Oudéa-Castéra, também se mantém no cargo, quando faltam menos de seis meses para os Jogos Olímpicos de Paris, e ainda acumula a pasta da Educação, sucedendo a Attal, que desempenhou as funções de ministro da Educação até ser promovido a primeiro-ministro do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tribunal da Relação condena Sarkozy a um ano de prisão, com seis meses de pena efetiva

Gabriel Attal é o novo primeiro-ministro de França

Primeira-ministra francesa Élisabeth Borne demite-se