EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Tribunal Internacional de Justiça ordena a Israel que evite o genocídio em Gaza

Tribunal Internacional de Justiça ordena a Israel que evite o genocídio em Gaza
Direitos de autor Patrick Post/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Patrick Post/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Tribunal das Nações Unidas não exigiu um cessar-fogo em Gaza, mas quer que Israel tente conter as mortes e os danos.

PUBLICIDADE

O Tribunal Internacional de Justiça decidiu que Israel deve "tomar todas as medidas ao seu alcance" para impedir  os atos abrangidos pela convenção sobre o genocídio, e  deve garantir "com efeito imediato" que as suas forças não cometam nenhum dos atos abrangidos pela convenção.

Uma grande maioria do painel de 17 juízes do tribunal votou a favor de medidas urgentes que abrangem a maior parte do que a África do Sul pediu, com a exceção de ordenar um cessar-fogo imediato

Nas primeiras reações, a África do Sul saudou uma "vitória decisiva" para o Estado de direito internacional e afirmou que continuará a atuar no âmbito das instituições de governação mundial para proteger os direitos dos palestinianos em Gaza.

Por seu lado, o primeiro-ministro de Israel declarou que o seu país "está a travar uma guerra justa como nenhuma outra". "Continuaremos a defender-nos a nós próprios e aos nossos cidadãos, respeitando o direito internacional", disse Benjamin Netanyahu, acrescentando que a guerra vai continuar "até à vitória absoluta, até que todos os reféns sejam devolvidos e Gaza deixe de ser uma ameaça para Israel".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bruxelas analisará financiamento para UNRWA após investigação