Finlandeses votam em novo presidente que irá orientar a política externa

Uma mulher vota numa mesa de voto durante as eleições presidenciais em Espoo, Finlândia, no domingo, 11 de fevereiro de 2024.
Uma mulher vota numa mesa de voto durante as eleições presidenciais em Espoo, Finlândia, no domingo, 11 de fevereiro de 2024. Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Alexander Stubb, do centro-direita, enfrenta Pekka Haavisto, da esquerda verde, nas eleições presidenciais da Finlândia.

PUBLICIDADE

No domingo, os eleitores finlandeses vão escolher entre dois políticos experientes para novo presidente do país.

A principal tarefa do vencedor será orientar a política externa e de segurança do novo membro da NATO, numa altura em que a Rússia está a invadir a Ucrânia.

O antigo primeiro-ministro Alexander Stubb, do centro-direita, enfrenta o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Pekka Haavisto, da esquerda verde.

Os dois concordam em grande medida com as prioridades da Finlândia em matéria de política externa e de segurança. Estas incluem a manutenção de uma linha dura em relação à Rússia - que partilha uma extensa fronteira de 1340 km com a Finlândia -, o reforço dos laços de segurança com os EUA e Washington e a ajuda à Ucrânia.

Ao contrário do que acontece na maioria dos países europeus, o presidente da Finlândia detém o poder executivo na formulação da política externa e de segurança.

O presidente da Finlândia tem poder executivo para gerir a política externa e de segurança, nomeadamente no que se refere a relações com países não pertencentes à União Europeia, como os Estados Unidos, a Rússia e a China.

O chefe de Estado também comanda as forças armadas, o que é particularmente importante no atual contexto de segurança da Europa e na alteração da situação geopolítica da Finlândia, que aderiu à NATO em abril de 2023.

Dois dos favoritos passaram à segunda ronda

Político do partido conservador da Coligação Nacional, Stubb ficou em primeiro lugar na primeira volta das eleições, a 28 de janeiro, com 27,2% dos votos, à frente dos outros oito candidatos. É o favorito para ganhar a presidência.

Stubb liderou o governo em 2014-2015 e ocupou anteriormente vários outros cargos no Governo.

Haavisto, o segundo classificado na primeira volta, foi o principal diplomata da Finlândia entre 2019-2023 e o principal negociador da sua entrada na NATO. Antigo mediador de conflitos nas Nações Unidas e ambientalista devoto, Haavisto obteve 25,8% dos votos na primeira volta.

A segunda volta foi necessária porque nenhum dos candidatos obteve mais de metade dos votos na ronda de 28 de janeiro.

Mais de 4 milhões de pessoas estão aptas a votar. O vencedor sucederá ao popular Presidente Sauli Niinistö, cujo segundo mandato de seis anos termina em março.

Niinistö não é elegível para reeleição.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Redes de transportes da Finlândia paralisadas devido a greve nacional

Finlândia: alegada exclusão de candidato levanta polémica nas eleições

Entre a Finlândia e a Rússia: uma fronteira fechada