Urso de Ouro para a franco-senegalesa Mati Diop

Mati Diop
Mati Diop Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Dahomey" acompanha o percurso de 26 obras de arte saqueadas pelos franceses em África no século XIX e restituídos ao Benim em 2021.

PUBLICIDADE

O Festival Internacional de Cinema de Berlim chegou ao fim e o júri da 74ª edição, liderado por Lupita Nyong'o, elegeu o seu vencedor entre os 20 filmes em competição.

O Urso de Ouro para Melhor Filme foi para Dahomey, da cineasta franco-senegalesa Mati Diop, que já tinha ganho o Grande Prémio em Cannes pelo seu filme Atlantics, de 2019.

O filme acompanha o percurso de 26 obras de arte saqueadas pelos franceses em África no século XIX e restituídos ao Benim em 2021.

Dahomey é o segundo documentário consecutivo a receber o Urso de Ouro de Berlim, depois de On the Adamant, do realizador francês Nicolas Philibert, no ano passado.

Diop dá uma voz ao passado, explora os destroços provocados pelo colonialismo, e junta-se à discussão em curso sobre o repatriamento de artefactos saqueados.

"Restituir é fazer justiça - ou nos livramos do passado ou assumimos a responsabilidade por ele", disse a realizadora, ao aceitar o prémio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Não foi só cinema: críticas à extrema-direita e pedidos de cessar-fogo em Gaza marcaram a Berlinale

Wim Wenders recebe Prémio Lumière 2023: "O cinema vai sobreviver"

"Tudo em todo o lado ao mesmo tempo" domina noite dos Óscares