EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Tráfico de droga e tiroteios em Marselha: será que a situação está fora de controlo?

Tráfico de droga e tiroteios em Marselha: será que a situação está fora de controlo?
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Hans von der Brelie
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em Marselha, os tiroteios entre traficantes de droga rivais atingiram um recorde em 2023. Será que a situação ficou fora de controlo?

PUBLICIDADE

No ano passado, 49 pessoas perderam a vida, na cidade francesa de Marselha, durante tiroteios entre grupos rivais de traficantes de droga.

A Euronews esteve nos bairros mais perigosos de Marselha. 

"Foi uma noite de horror", recordou Laetitia Linon, durante uma visita à campa do sobrinho no maior cemitério de Marselha. 

O jovem de 14 anos foi alvejado cinco vezes com uma Kalashnikov, tornando-se mais uma vítima das guerras da droga na cidade.

"Um rapaz de Marselha pode morrer num tiroteio como no México, um país de cartéis", frisou Laetitia Linon.

Alguns pais desamparados recorrem a meios invulgares para proteger os seus filhos. "Apresentam queixa contra os seus próprios filhos para os manter a salvo das redes de droga", disse Amine Kessaci, estudante de Direito. O tráfico de droga matou o seu irmão mais velho. O seu corpo foi encontrado queimado num carro em dezembro de 2020. 

Desde então, o número de mortes relacionadas com a droga explodiu.

Em 2023, 49 pessoas morreram no contexto do tráfico de droga, atingindo um máximo histórico. Na origem da escalada da violência está uma guerra territorial. Dois dos maiores cartéis de droga, o DZ Mafia e o Yoda,  lutam pelo controlo de um mercado de droga muito lucrativo.

Um negócio muito lucrativo

Em França, o tráfico de droga gera cerca de 3 mil milhões de euros por ano. Alguns dos pontos de tráfico de Marselha rendem entre 25 e 90 mil euros por dia. "Dinheiro que circula, corrompe e mata", resumiu o procurador da cidade, Nicolas Bessone.

Para lutar contra as raízes do mal, o procurador recentemente nomeado tem por objetivo localizar os chefes das redes, incluindo os que se encontram no estrangeiro. 

"É errado dizer que o Estado não está a tomar medidas contra o fenómeno", afirmou Nicolas Bessone.

O ministro da Justiça está também a criar postos de magistrados de ligação no Dubai "porque é lá que se encontram os chefes da droga", acrescentou. 

O responsável considera que o trabalho árduo que tem sido feito está a dar frutos. Em 2023, as autoridades francesas apreenderam 7 toneladas de canábis, 21 milhões de euros em bens de origem criminosa e 107 espingardas de assalto na região de Marselha. Todos os dias, são desmantelados 5 a 10 pontos de venda de droga na segunda cidade de França. 

Ex-polícias trabalham para recuperar bairros perdidos para a droga

Mas muitos habitantes perderam a confiança no Estado.

Para restabelecer a confiança entre a polícia e a população, uma associação fundada por um antigo membro de uma unidade de elite da polícia organiza atividades desportivas nos bairros afetados pela droga.

PUBLICIDADE

"Chegar às famílias e aos jovens é a parte mais importante do nosso trabalho", diz o fundador da associação, Bruno Pomart. "É uma forma de recuperar estas zonas e de mostrar que não foram abandonadas", explicou o antigo polícia.

As famílias dos bairros do norte de Marselha também apontam para a necessidade de combater as raízes sociais do tráfico de droga através do emprego. 

O desenvolvimento do espírito empresarial através do aumento dos investimentos das PME locais faz parte da solução a longo prazo. Além disso, as famílias monoparentais deverão receber apoio adicional.

Mas as feridas deixadas pela guerra da droga podem nunca sarar. "Nunca aceitarei a morte de Rayanne. Ele tinha a vida toda pela frente e eu nunca vou perdoar aqueles que nos fizeram isto, perdemos demasiado", afirmou Laetitia Linon.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo governo polaco traz esperança à comunidade LGBT

Entre a Finlândia e a Rússia: uma fronteira fechada

"Muro da Trégua" na Aldeia Olímpica apela à paz no mundo