EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Rússia coloca Garry Kasparov na lista de "terroristas e extremistas"

Garry Kasparov
Garry Kasparov Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Rússia colocou o antigo campeão de xadrez e crítico do Kremlin, Garry Kasparov, na sua lista de "terroristas e extremistas".

PUBLICIDADE

O antigo campeão de xadrez e crítico do Kremlin, Garry Kasparov, faz agora parte da lista de "extremistas e terroristas" da Rússia, de acordo com o Moscow Times.

Embora não haja justificação oficial para a inclusão de Kasparov nesta lista, o organismo estatal de controlo financeiro Rosfinmonitoring indica que o antigo jogador critica o Presidente Vladimir Putin há vários anos, a quem já apelidou de "o homem mais perigoso do mundo", e desde 2014 que condena a agressão militar de Moscovo na Ucrânia.

Esta designação marca uma escalada significativa na repressão do governo russo contra a dissidência, particularmente contra figuras de alto nível, como Kasparov, que se têm manifestado abertamente contra o regime e as políticas de Putin. 

A inclusão nesta lista de "extremistas e terroristas" permite que as autoridades congelem as contas bancárias dos designados sem uma ordem judicial. Além disso, qualquer forma de apoio ou associação a Kasparov na Rússia será condenada, isolando-o, e a outros que constam da lista, das suas redes de apoio no país. 

Esta medida faz parte de uma estratégia mais alargada do Governo russo para sufocar a dissidência e suprimir as vozes da oposição, especialmente as que têm a capacidade de mobilizar a opinião pública contra o regime. Assinala também uma tendência de utilização da legislação antiterrorista para atingir opositores políticos, uma tática que tem sido amplamente criticada por organizações de defesa dos direitos humanos a nível mundial.

Em 2008, Garry Kasparov ainda tentou entrar na corrida presidencial russa, mas desistiu depois de enfrentar o que ele chamou de "obstrução".

Em 2013 acabou por deixar a Rússia, com receio de ser perseguido pelas suas atividades políticas, e foi para os Estados Unidos. Atualmente vive em Nova Iorque.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Embaixada dos EUA em Moscovo alerta para ataques iminentes na capital russa

Kasparov regressa às competições de xadrez

Kasparov diz que Putin quer derrubar o governo de Kiev