As razões do sucesso da habitação social na Áustria

As razões do sucesso da habitação social na Áustria
Direitos de autor euronews
De  Julian GOMEZ
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Viena é considerada em toda a Europa como um caso de boas práticas na governação da habitação social.

PUBLICIDADE

A Câmara Municipal de Viena é proprietária, coproprietária e gestora de cerca de 50% do património imobiliário residencial da cidade, através de vários programas sociais.

Um sistema que proporciona rendas acessíveis a dezenas de milhares de famílias.

Cerca de um milhão de pessoas, aproximadamente metade da população de Viena, vive em apartamentos sociais ou noutros tipos de habitação subsidiada. Graças à habitação social Viena é considerada, desde há muito, como a cidade mais habitável do mundo.

Preços acessíveis e habitação de qualidade

A assistente administrativa Tesbire Keskin mostrou-nos o apartamento de 70 metros quadrados onde vive com a família há quase 20 anos. Paga 500 euros por mês, muito abaixo do valor de mercado, por um apartamento com uma localização ideal. 

"O jardim de infância fica mesmo em frente, a escola fica a dez minutos a pé. Em dois minutos, estou no metro", contou Tesbire Keskin. 

"Quando os meus filhos eram pequenos e eu ainda estava no trabalho, os vizinhos iam buscá-los ao jardim de infância. Aqui é muito bonito, é verde, é calmo. Sinto-me muito feliz e satisfeita", acrescentou a residente em Viena.

Câmara investe na habitação social

Ao contrário de Berlim e de outras cidades historicamente latifundiárias, a antiga capital do vasto império austro-húngaro nunca vendeu as suas enormes propriedades fundiárias.

O orçamento anual de Viena para a habitação social é superior a 400 milhões de euros, muito mais elevado do que o das grandes capitais da UE, como Roma, Madrid ou Lisboa. 

"O nosso modelo de habitação é assegurado e financiado por um imposto sobre a habitação que todos os austríacos pagam", afirma Christian Schantl, diretor de relações internacionais da Wiener Wohnen-Vienna Living. 

"Trata-se de uma pequena contribuição a partir do seu rendimento bruto. O empregador também faz uma pequena contribuição, e este dinheiro destina-se especificamente à construção de habitações em toda a Áustria", acrescentou o responsável.

A autarquia afirma que continua a subsidiar entre 5 mil e 7 mil novos apartamentos, todos os anos.

Clique no vídeo acima para ver a nossa reportagem na íntegra.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Housing First": um modelo para resolver a crise da habitação

Crise da habitação na Europa: o que significa o termo "sem-abrigo"?

Grave crise da habitação pode ditar desfecho das Legislativas de domingo no Luxemburgo