EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Pentágono promete envio imediato de armas à Ucrânia, se financiamento for aprovado

Ajuda pode ser enviada imediatamente, se pacote for aprovado
Ajuda pode ser enviada imediatamente, se pacote for aprovado Direitos de autor Kevin Wolf/AP
Direitos de autor Kevin Wolf/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As armas podem ser enviadas "num prazo de dias", se o Congresso aprovar o pacote de ajuda em discussão, promete o Pentágono.

PUBLICIDADE

O Pentágono diz que pode enviar armas para a Ucrânia "numa questão de dias", se o Congresso aprovar um projeto de lei de ajuda há muito adiado. A defesa norte-americana diz ter uma rede de locais de armazenamento nos EUA e na Europa que já contêm as munições e os componentes de defesa aérea de que Kiev necessita desesperadamente.

O diretor da CIA, Bill Burns, disse esta quinta-feira no Capitólio que "é fundamental agir depressa". Acrescentou que, sem ajuda adicional dos EUA, a Ucrânia pode perder a guerra para a Rússia até ao final deste ano.

O Pentágono tem material pronto a ser transportado há vários meses, mas não o fez porque não tem dinheiro. Já gastou todo o financiamento que o Congresso tinha aprovado anteriormente para apoiar a Ucrânia e enviou mais de 44 mil milhões de euros em armas, manutenção, formação e peças de reposição desde a invasão em larga escala da Rússia em fevereiro de 2022. Em dezembro, o Pentágono estava com um défice de 10 mil milhões de dólares, porque vai custar mais agora para substituir os sistemas que enviou para o campo de batalha na Ucrânia.

Se o Congresso aprovar o projeto de lei, o Presidente Joe Biden disse que o assinará "imediatamente", o que fará com que o Pentágono comece logo a enviar para a Ucrânia as armas que estão armazenadas.

Disse o major-general Pat Ryder, secretário de imprensa do Pentágono: "Os ucranianos demonstraram a sua resistência e coragem debaixo de fogo. Não temos razões para pensar que isso vai mudar. Mas também compreendemos a terrível situação que se vive neste momento e é por isso que, mais uma vez, gostaríamos muito de ver este suplemento aprovado. E gostaríamos muito de poder apressar esta assistência de segurança no volume que consideramos necessário para que tenha sucesso".

O líder da maioria democrata no Senado, Chuck Schumer, esteve reunido com o primeiro-ministro ucraniano Denys Shmyhal na quinta-feira e prometeu que fará tudo o que puder para conseguir financiamento para a Ucrânia.

Esta reunião acontece na altura em que os republicanos da Câmara dos Representantes apresentam um novo pacote de projetos de lei sobre a ajuda dos EUA à Ucrânia e a Israel. O pacote de ajuda tem vindo a ser adiado durante vários meses, devido à oposição dos republicanos à continuação do financiamento da Ucrânia em tempo de guerra. A maior parte do pacote de ajuda de 61 mil milhões de dólares que está a ser discutido iria para a compra de armas e munições de fabricantes norte-americanos.

Novos ataques em Kherson

Entretanto, a região ucraniana de Kherson tem vindo a ser bombardeada pela artilharia russa e ainda por sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, morteiros, aviões e explosivos lançados por drones.

Os mais recentes ataques atingiram os bairros de Dniprovskyi, Korabelnyi e Antonivka, em Kherson, e deixaram vários edifícios destruídos ou danificados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia diz ter abatido bombardeiro russo de longo alcance

Mike Pence confiante de que apoio à Ucrânia está prestes a ser desbloqueado no Congresso dos EUA

Países do G7 ponderam utilizar ativos russos congelados para financiar a Ucrânia