EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

A proliferação de notícias falsas na Eslováquia serve de aviso à UE

A proliferação de notícias falsas na Eslováquia serve de aviso à UE
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Bryan Carter
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Euronews esteve na Eslováquia para investigar o fenómeno da desinformação que tem vindo a dividir a sociedade e a quebrar a confiança na democracia.

PUBLICIDADE

Nas horas que se seguiram à tentativa de assassinato do primeiro-ministro eslovaco Robert Fico, a 15 de maio de 2024, começaram a circular na Internet notícias falsas e teorias da conspiração. 

Algumas dessas especulações tentavam associar o alegado atirador ao principal partido da oposição eslovaca.

Este tipo de desinformação não é um fenómeno recente na Eslováquia.

A desinformação - que pode ser definida como informações falsas espalhadas deliberadamente e muitas vezes de forma dissimulada para influenciar a opinião pública ou ocultar a verdade - disparou na Eslováquia desde a anexação da Crimeia e do conflito no leste da Ucrânia, alimentada principalmente por agentes russos, tanto dentro como fora da Eslováquia, que procuram influenciar a opinião pública.

A invasão da Ucrânia em 2022 e a propagação de narrativas falsas por parte de figuras políticas exacerbaram a difusão da desinformação no país, ao ponto de existirem agora milhares de meios de comunicação social, páginas do Facebook e canais do Telegram que papagueiam a propaganda de Moscovo ou simplesmente espalham mentiras.

Notícias falsas a poucos dias das eleições europeias

A verificadora de factos eslovaca Veronika Frankovská salienta: "Não se trata de fazer com que as pessoas acreditem numa determinada história, trata-se simplesmente de corroer a confiança no que lêem, no que vêem à sua volta, criando dúvidas sobre a veracidade e a fiabilidade das informações, alimentando a ideia de que não se pode confiar em ninguém".

A poucos dias das eleições europeias de junho de 2024, a experiência da Eslováquia serve de aviso sobre os perigos da desinformação. 

Giovanni Zagni, que dirige um grupo de trabalho sobre as eleições europeias para o Observatório Europeu dos Media Digitais (EDMO), afirma:

"Na véspera das eleições europeias, observamos algumas tendências e narrativas de desinformação importantes. Uma delas tem a ver com o processo eleitoral. Depois há, por exemplo, a questão climática. E outra é a questão da imigração".

Clique no vídeo acima para ver a reportagem completa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Civis da Estónia treinam guerra de trincheiras com soldados franceses da NATO

Polónia quer estar pronta caso haja um ataque da Rússia e pede à UE para dar mais armas à Ucrânia

As razões do sucesso da habitação social na Áustria