EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Tribunal Penal Internacional emite mandado de captura contra altos funcionários russos

A sede do Tribunal Penal Internacional.
A sede do Tribunal Penal Internacional. Direitos de autor Peter Dejong/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Peter Dejong/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP & EBU
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

O TPI acusa o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, e o chefe do Estado-Maior, o general Valery Gerasimov, de cometerem crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

PUBLICIDADE

O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu mandados de captura para altos responsáveis russos, responsabilizando-os por ataques contra alvos civis ucranianos.

Na terça-feira, o tribunal acusou o antigo ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, e o chefe do Estado-Maior, o general Valery Gerasimov, de crimes de guerra e de crimes contra a humanidade.

Em comunicado, funcionários do tribunal revelaram que os mandados foram emitidos porque os juízes acreditam que existem motivos razoáveis para que os dois homens sejam responsáveis por "ataques com mísseis contra infraestruturas elétricas ucranianas”. As datas dos ataques terão variado entre 10 de outubro de 2022 e 9 de março de 2023.

"Durante este período de tempo, um grande número de ataques contra centrais elétricas e subestações foram realizados pelas forças armadas russas em vários locais na Ucrânia", disse o tribunal, citado pela AP.

Apesar da notícia de que foram emitidos mandados de captura, a probabilidade de qualquer dos suspeitos ser imediatamente detido é improvável. Isto porque a Rússia não reconhece a jurisdição do TPI e até já se recusou a entregar suspeitos no passado.

O presidente Vladimir Putin, que foi acusado pelo TPI no ano passado de ter raptado crianças ucranianas, é uma das figuras russas mais proeminentes a quem foram emitidos mandados de captura. Também a funcionária russa Maria Lvova-Belova foi acusada de fazer parte do alegado esquema de deportação de milhares de crianças ucranianas para a Rússia.

Sergei Shoigu foi afastado por Putin do ministério da Defesa numa remodelação do Governo em maio deste ano, tendo-lhe sido atribuído o cargo de secretário do conselho de Segurança da Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia bloqueia 81 meios de comunicação social europeus, quatro são portugueses

Chefes da diplomacia da UE aprovam novas sanções contra a Rússia

Crianças ucranianas recordam deportação para a Rússia