EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Theresa May quer que Reino Unido seja "líder mundial do comércio livre"

Theresa May quer que Reino Unido seja "líder mundial do comércio livre"
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A primeira-ministra britânica quer que, depois do “Brexit”, o Reino Unido se torne no “líder mundial do comércio livre”.

PUBLICIDADE

A primeira-ministra britânica quer que, depois do “Brexit”, o Reino Unido se torne no “líder mundial do comércio livre”. A garantia foi dada por Theresa May esta segunda-feira na intervenção no congresso anual, em Londres, da Confederação da Indústria Britânica (CBI). May explicou que vai negociar com Bruxelas um acordo “que beneficie o Reino Unido e a União Europeia. Além disso, quer apostar em reformas dentro do país: “agora queremos ir mais longe e ver como podemos tornar o nosso apoio ainda mais efetivo. O meu objetivo não é simplesmente que o Reino Unido tenha a menor carga fiscal sobre as empresas do G20, mas quero também ter um sistema tributário profundamente pró-inovação”

Theresa May disse também que é fundamental ter “uma nova perspetiva, que permita a todos beneficiar do crescimento económico” e apontou baterias. “Comprometemo-nos a fazer um aumento sustâncial do investimento público em investigação e desenvolvimento: mais dois mil milhões de libras por ano até ao final do mandato, para ajudar a colocar o Reino Unido pós-Brexit na vanguarda da ciência e tecnologia”, explicou May

A primeira-ministra britânica lembrou ainda que o setor empresarial se deve “adaptar e reformar” e que deve invistir em negócios inovadores como forma de estimular uma economia que enfrenta baixos níveis de produtividade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Londres e Washington renovam parceria económica com a assinatura da "Declaração do Atlântico"

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico

Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo