Líderes da aviação querem testes à Covid

Líderes da aviação querem testes à Covid
Direitos de autor Ted S. Warren/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Para os responsáveis máximos do setor, as quarentenas estão a afundar o tráfego de passageiros e os testes são a única solução.

PUBLICIDADE

Os patrões das companhias aéreas querem uma generalização dos testes de coronavírus aos passageiros para substituir a quarentena obrigatória. Avisam que a descoberta da vacina pode distrair da prioridade imediata de abrir as viagens aéreas e dizem que, a curto prazo, a vacina pode ter um efeito negativo para viajar, uma vez que as pessoas adiam a reserva de voos até terem sido imunizadas.

Johan Lundgren, chefe executivo da easyJet, disse ao Financial Times que "pensa haver razões para ser positivo. Mas ninguém sabe por quanto tempo a pandemia vai continuar antes de a vacina a ser lançada".

Já o líder da British Airways, Sean Doyle, diz que "a vacina é uma grande notícia e isso encoraja. Mas os detalhes de quando é lançada, a que escala e quando terá um efeito material nas viagens não são claros". Doyle pede uma solução a curto prazo para retomar as viagens.

Guillaume Faury, da Airbus, disse que as vacinas não devem estar amplamente disponíveis antes do próximo ano "e provavelmente não antes do segundo semestre".

"Mal podemos esperar pela chegada das vacinas. Temos de utilizar testes em larga escala. Estamos agora a entrar num segundo inverno da pandemia, a procurar formas de testar em grande escala que permitiriam alguma recuperação no tráfego de passageiros", disse o homem-forte da construtora aeronáutica europeia.

Enquanto, na Europa, o coro uníssono dos lideres do setor pede o fim das quarentenas obrigatórias e a disponibilização dos testes para que haja uma retoma, na Austrália a perceção é outra: A companhia aérea Qantas vai mais longe que as congéneres europeias e pensa passar a exigir a vacina contra a Covid-19 a quem entrar nos aviões, assim que esta estiver disponível.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mercedes-Benz recolhe 250 000 veículos devido a risco de incêndio

Uber Eats altera anúncio polémico da Super Bowl por brincar com alergias alimentares

Quem ultrapassou Elon Musk como a pessoa mais rica do mundo?