EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Economia da Zona Euro volta a crescer, com Portugal acima da média

Contas do Eurostat para a primeira metado do ano estão fechadas
Contas do Eurostat para a primeira metado do ano estão fechadas Direitos de autor Michael Sohn/AP
Direitos de autor Michael Sohn/AP
De  Euronews com agências
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O PIB da zona euro registou uma subida de 0,3% no segundo trimestre deste ano e a economia portuguesa cresceu 2,3% - dados do Eurostat

PUBLICIDADE

A atividade económica na zona euro registou um crescimento de 0,3 % no segundo trimestre do ano, enquanto o PIB no conjunto da União Europeia se manteve estável no mesmo período, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo gabinete de estatísticas da UE, Eurostat.

O organismo de estatísticas comunitário mantém assim as suas estimativas trimestrais publicadas no final de julho para os países que partilham o euro e para o conjunto da UE, bem como para Espanha, onde se confirma o avanço do PIB em 0,4% entre abril e junho deste ano para o Eurostat.

No primeiro trimestre de 2023, a atividade económica manteve-se estável nos países da moeda única e aumentou 0,2 % na UE-27, enquanto no período entre abril e junho de 2022 o PIB aumentou 0,6 % na área do euro e 0,5 % no conjunto da UE.

Entre os Estados-Membros para os quais estão disponíveis dados do Eurostat, os maiores aumentos do PIB no segundo trimestre deste ano foram registados na Irlanda (3,3 %) e na Lituânia (2,8 %), enquanto as descidas mais acentuadas ocorreram na Polónia (-3,7 %) e na Suécia (-1,5 %).

Em comparação homóloga, a Irlanda (2,8%), a Roménia (2,7%), Portugal e Chipre (ambos com 2,3%) registaram os maiores ganhos do PIB em relação ao segundo trimestre de 2022, enquanto a atividade económica diminuiu mais na Estónia (-3%), Suécia (-2,4%) e Hungria (-2,3%).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

OCDE revê em baixa crescimento da zona euro

Economia alemã pressionada pelo espectro de contração

O que está em alta e o que não está para as viagens e o turismo este ano?