EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Alemanha apresenta novo plano para reduzir os preços da eletricidade

Alemanha quer descer os preços da eletricidade
Alemanha quer descer os preços da eletricidade Direitos de autor Andreas Rentz/Getty Images
Direitos de autor Andreas Rentz/Getty Images
De  Euronews com AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Berlim vai avançar com reduções fiscais e subsídios até 2028.

PUBLICIDADE

O Governo alemão apresentou um vasto plano de ajuda para reduzir os preços da eletricidade, atingindo um setor que se encontra em dificuldades há vários meses.

Para atingir o objetivo, vai avançar com reduções fiscais e subsídios, até 2028.

Este regime, que deverá custar "até 12 mil milhões de euros" só no próximo ano, visa "reduzir consideravelmente o imposto sobre a eletricidade" para o setor da indústria transformadora, diminuindo-o de 1,537 cêntimos por quilowatt-hora (kWh) para um mínimo de 0,05 cêntimos por kWh, segundo um comunicado de imprensa do Governo.

O plano está atualmente previsto "até 2025", afirmam, e a redução poderá ser prolongada "por três anos".

As empresas que consomem mais energia e "enfrentam a maior concorrência internacional" também beneficiarão do prolongamento "por cinco anos" das medidas que lhes permitem compensar uma parte dos seus custos ligados aos mercados de direitos de poluição.

"O Governo está a aliviar a indústria transformadora dos seus custos de eletricidade", anunciou o Chanceler alemão, Olaf Scholz.

Este anúncio surge após semanas de intensas discussões entre os industriais, os sindicatos e o Governo.

O futuro da indústria, um pilar do modelo alemão, suscitou inúmeras questões em todo o país.

A Alemanha, que durante anos dependeu do gás russo barato, teve de passar sem esse recurso específico desde o início do conflito na Ucrânia no início do ano passado.

Desde então, os fabricantes têm sofrido preços de eletricidade particularmente elevados - entre os mais altos da Europa.

As atividades com elevado consumo de energia continuam a lutar para recuperar os níveis de produção anteriores à guerra, ameaçando a deslocalização para fora da Alemanha.

Perante esta situação, o Vice-Chanceler e Ministro da Economia e da Ação Climática, Robert Habeck, defende há vários meses o estabelecimento de um teto para os preços - através de um subsídio maciço para as indústrias mais consumidoras.

O Governo alemão prevê uma recessão - ou uma diminuição do PIB - de 0,4% este ano.

A potência da União Europeia deverá ser o único país do G7 a registar uma recessão este ano, de acordo com o Fundo Monetário Internacional.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Em 2024, gregos podem optar por conta da eletricidade fixa ou variável

Alemanha volta a quebrar os limites constitucionais da dívida

BCE mantém as taxas de juro inalteradas, uma vez que o controlo da inflação continua a ser fundamental