Morreu a atriz Sandra Milo, musa de Fellini

A atriz Sandra Milo posa para os fotógrafos à chegada à estreia do filme "Dorogie Tovarischi" durante o 77º Festival de Cinema de Veneza
A atriz Sandra Milo posa para os fotógrafos à chegada à estreia do filme "Dorogie Tovarischi" durante o 77º Festival de Cinema de Veneza Direitos de autor Joel C Ryan/Joel C Ryan/Invision/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em italiano

A Sandrocchia de Fellini tinha 90 anos. Morreu em casa, junto da família.

PUBLICIDADE

Morreu Sandra Milo, amusa de Fellini**.** A atriz, que completou 90 anos em março do ano passado, morreu em casa, junto dos que lhe eram mais queridos, conforme tinha pedido. A morte foi anunciada pela família.

Milo teve uma carreira muito longa, decidindo nunca deixar o palco. Fez o último programa de televisão, "Quelle brave ragazze", na Sky, em 2023. Em 2021, recebeu o prémio David di Donatello pelo seu percurso de vida.

A vida e a carreira da musa de Fellini

Nascida em Tunes, em 1933, a atriz e apresentadora Salvatrice Elena Greco, "Sandrocchia" para o realizador Federico Fellini, de quem foi musa, estreou-se com "Lo scapolo", contracenando com Alberto Sordi em 1955.

Em 1959, juntamente com Vittorio De Sica, interpretou uma prostituta em "Il Generale della Rovere", produzido por Moris Ergas, que viria a ser seu marido e pai da sua filha Deborah. Em 1961, participou em "Fantasmi a Roma" ("Fantasmas de Roma") com Eduardo De Filippo, Vittorio Gassman e Marcello Mastroianni.

Mas o encontro da sua carreira e também da sua vida, dado o caso de amor clandestino que durou 17 anos e só foi revelado publicamente em 2009, no Porta a Porta, foi com Federico Fellini. Para o realizador de Rimini, integrou o elenco de "8½" e "Giulietta degli spiriti". Por ambos os papéis, foi galardoada com o Nastri d'Argento de melhor atriz secundária.

Declarou várias vezes que o seu grande amor foi Bettino Craxi, o líder socialista a quem esteve ligada em meados dos anos 80 durante alguns anos, quando era casada com Ottavio De Lollis, pai dos seus filhos Ciro e Azzurra.

A partir da década de 1990, regressou em força à televisão, participando em numerosos programas, entre os quais o "Isola dei Famosi" - "Ilha dos Famosos", numa tradução literal. Em 2021, foi distinguida com o prémio David di Donatello de carreira.

Em 8 de janeiro de 1990, Milo foi vítima de uma partida televisiva atroz no programa "L'amore è una cosa meravigliosa" da RaiDue: um telefonema informava-a de que o seu filho Ciro estava em estado grave na sequência de um acidente de viação.

Pierluigi Diaco recorda Sandra Milo

"A Sandra era uma amiga sincera e uma preciosa companheira de viagem. Agradeço-lhe por me ter ensinado que qualquer momento negativo, mesmo o mais doloroso, pode ser enfrentado com um sorriso e altruísmo. Para o grupo de trabalho de "Io e te" e "Io e te di notte" era uma fonte inesgotável de entusiasmo e ideias, uma fã dos outros, uma mulher sempre pronta a envolver-se com humildade e espírito de equipa", declarou o apresentador de televisão Pierluigi Diaco, colega e amigo de Milo.

Muitas personalidades do mundo do espetáculo expressaram as suas condolências pela perda e partilharam uma recordação da atriz nas redes sociais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu o antigo ministro das Finanças alemão Wolfgang Schäuble

Morreu Lee Sun-kyun, ator do filme "Parasitas"

Morreu Ryan O'Neal, ator principal do filme "Love Story"