Formigas-de-fogo invasoras chegaram à Europa e é provável que se espalhem à medida que o clima aquece

As formigas-de-fogo vermelhas estabeleceram-se pela primeira vez na Europa.
As formigas-de-fogo vermelhas estabeleceram-se pela primeira vez na Europa. Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Angela Symons
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

As formigas-de-fogo vermelhas são uma das piores e mais dispendiosas espécies exóticas invasoras do mundo - e estão a fazer de Itália a sua casa, com nidificação na Sicília.

PUBLICIDADE

Uma das piores espécies exóticas invasoras do mundo chegou à Europa pela primeira vez, revela um novo estudo.

A formiga-de-fogo-vermelha formou uma população adulta na Sicília, em Itália, de acordo com uma investigação publicada na revista científica Current Biology.

O estudo alerta para o facto de, com a ajuda do aquecimento global, as formigas poderem espalhar-se por todo o continente. O clima em metade das zonas urbanas da Europa já é adequado para esta espécie.

Esta situação poderá ter um impacto devastador e dispendioso na biodiversidade, nas culturas e na saúde humana.

Porque é que as formigas-de-fogo vermelhas são perigosas?

Como forrageadoras agressivas, as formigas-de-fogo tornam-se normalmente a espécie dominante quando são introduzidas num novo território.

Isto significa que podem devastar as populações de formigas autóctones e destruir as plantas nativas. Têm também um ferrão venenoso que pode matar ou ferir rãs, lagartos e pequenos mamíferos.

As formigas podem também atacar as pessoas, tornando as zonas públicas, como os parques, pouco seguras para as crianças. Podem também causar uma reação alérgica potencialmente fatal numa pequena percentagem de pessoas que reagem ao seu veneno.

Através da predação, da competição e da picada, também se sabe que afetam aves epeixes.

Para além de causarem estragos nos ecossistemas locais e na biodiversidade, as formigas-de-fogo podem danificar as culturas e infestar o equipamento elétrico.

São a quinta espécie invasora mais dispendiosa do mundo, tendo custado quase 20 mil milhões de euros em danos e gestão entre 1970 e 2017, de acordo com uma estimativa publicada na revista Nature em 2021.

As formigas-de-fogo estão listadas entre as 100 piores espécies exóticas invasoras pela Global Invasive Species Database.

De onde vêm as formigas-de-fogo vermelhas?

As formigas-de-fogo vermelhas - ou Solenopsis invicta - são originárias da América do Sul.

Em menos de um século, espalharam-se através do comércio humano por grande parte dos Estados Unidos, México, Caraíbas, China, Taiwan e Austrália. Viajam frequentemente em solo infestado, feno, cobertura vegetal e materiais de jardinagem e construção.

A Solenopsis invicta já consta da lista de espécies exóticas invasoras da UE como "espécie de preocupação".

Só nos EUA, os custos anuais associados a esta espécie estão atualmente estimados em cerca de mil milhões de dólares (933 milhões de euros).

A Nova Zelândia é o único país que conseguiu erradicar com êxito esta formiga invasora.

As formigas-de-fogo já tinham sido documentadas em produtos em Espanha, na Finlândia e nos Países Baixos, mas não em estado selvagem como na Sicília, onde foram encontrados 88 ninhos.

Irão as formigas-de-fogo espalhar-se pela Europa?

PUBLICIDADE

Os habitantes locais perto da cidade siciliana de Siracusa têm relatado picadas frequentes de formigas-de-fogo desde 2019.

A análise genética das formigas encontradas na área sugere que podem ter sido originárias do sul dos EUA, da China continental ou de Taiwan.

Não é claro como ou quando a espécie foi introduzida na área, mas pode ter sido através do porto de carga de Augusta, nas proximidades.

Os investigadores descobriram que as formigas poderiam estabelecer-se em 7% da Europa e do Mediterrâneo nas atuais condições ambientais. As zonas agrícolas são as de maior risco, enquanto metade das zonas urbanas estudadas apresentam condições adequadas.

Destas, as cidades costeiras do Mediterrâneo com grandes ligações a portos marítimos são as que correm maior risco.

PUBLICIDADE

As projeções futuras mostram que é provável que o ambiente na Europa se torne mais adequado para as formigas à medida que o clima aquece.

Os investigadores aconselham a deteção precoce e a tomada de medidas para gerir esta nova ameaça. A comunicaçãode picadas e ninhos por parte dos cidadãos pode ajudar a seguir o rasto da propagação das formigas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Há dois países Europeus alimentados a 100% por energias renováveis

Zara, H&M: gigantes europeus do retalho ligados à usurpação de terras e à desflorestação no Brasil

Acórdão histórico pode ligar as alterações climáticas aos direitos humanos