Autoridades francesas alertam para o consumo de ovos caseiros

Uma nova investigação revela a existência de poluentes perigosos no solo e nos ovos dos galinheiros domésticos da região de Paris.
Uma nova investigação revela a existência de poluentes perigosos no solo e nos ovos dos galinheiros domésticos da região de Paris. Direitos de autor Canva
De  Ian Smith
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os cientistas dizem que o facto de as galinhas se alimentarem de solo poluído é a causa principal do problema.

PUBLICIDADE

As autoridades sanitárias francesas reiteraram os avisos a milhões de habitantes para não comerem ovos provenientes de galinheiros domésticos na região da Île de France. O aviso surge depois de um novo estudo ter confirmado que o solo e os ovos estão contaminados por químicos eternos.

Em fevereiro de 2022, foi lançado um aviso de precaução para certas zonas da região. Esta precaução foi depois alargada a toda a região em maio de 2023, na sequência de uma investigação preliminar. Os resultados desse estudo foram confirmados e divulgados esta semana, levando a autoridade a confirmar o seu aviso.

O alerta abrange as 410 comunas que compõem a área urbana de Paris (incluindo Paris, todas as comunas de Seine-Saint-Denis, Hauts-de-Seine, Val-de-Marne, algumas comunas de Seine-et-Marne, Yvelines, Essonne e Val-d'Oise).

The areas affected by the health authority's warning.
The areas affected by the health authority's warning.Île de France regional health authority

Em 2022, testes efetuados pela ToxicoWatch Foundation detetaram níveis muito elevados de dioxinas em galinheiros domésticos perto da maior incineradora de resíduos da Europa, situada em Paris. As autoridades realizaram agora a sua própria investigação em 25 galinheiros e confirmaram o seu alerta inicial.

Existe uma "contaminação omnipresente [generalizada] do solo e dos ovos provenientes de galinheiros domésticos em Paris e nos subúrbios por poluentes orgânicos persistentes", tais como dioxinas, furanos, bifenilos policlorados e substâncias conhecidas como Pfas ou "químicos eternos", explicou a agência através de um comunicado de imprensa.

O que são PFAS ou "químicos eternos"?

Substâncias alquílicas per-fluoradas ou polifluoradas (PFAS) é o nome dado a milhares de produtos químicos complexos produzidos pelo homem. São utilizadas em tudo, desde frigideiras antiaderentes a produtos de higiene pessoal, embalagens de alimentos e espumas de combate a incêndios.

Constituem uma ameaça para a saúde pública desde os anos 50, altura em que o número de utilizações, nomes e aplicações deste grupo de produtos químicos começou a aumentar rapidamente.

Os PFAS são conhecidos como químicos eternos porque persistem no ambiente durante um período de tempo incrivelmente longo.

Eles têm cadeias de átomos de carbono e flúor ligados. Como esta ligação entre o carbono e o flúor é uma das mais fortes que existem, alguns produtos químicos não se decompõem durante mais de 1.000 anos.

Porque é que os químicos eternos são perigosos?

De acordo com a autoridade sanitária francesa, o consumo regular "várias vezes por semana durante vários anos" conduz a "um potencial efeito de desregulação endócrina que pode iniciar doenças crónicas e afetar o desenvolvimento das funções reprodutivas e imunitárias".

Estudos anteriores associaram os PFAS a uma resposta mais fraca às vacinas e a um risco acrescido de certos tipos de cancro, em especial o cancro dos rins e dos testículos.

Porque é que o aviso se aplica apenas aos ovos caseiros?

A autoridade sanitária francesa afirma que, uma vez que o novo estudo apenas examinou galinheiros não profissionais, a sua recomendação só se pode aplicar a esses galinheiros.

"As galinhas são geralmente mantidas durante mais tempo do que numa exploração profissional, onde o objetivo é maximizar o rendimento", afirma. "A acumulação de poluentes orgânicos persistentes aumenta com o tempo de exposição. Por exemplo, uma galinha que tenha estado no galinheiro durante vários anos tem mais probabilidades de estar contaminada do que uma que tenha estado lá apenas durante alguns meses".

O relatório acrescenta ainda que os ovos comerciais são sujeitos a controlos para garantir a sua conformidade com a regulamentação europeia.

O que é que se deve fazer para combater os produtos químicos para sempre nos ovos?

Num dos últimos relatórios de biomonitorização da ToxicoWatch, a fundação dos Países Baixos afirma que "a proibição do consumo de ovos de galinha de quintal, como resposta aos resultados do estudo sobre as emissões de dioxinas, não está a abordar a verdadeira causa da poluição por dioxinas".

O relatório afirma que as galinhas de quintal alimentam-se do solo, comendo plantas e insetos. Por conseguinte, não se trata de um problema de ovos, mas sim de um problema de contaminação ambiental devido às emissões industriais tóxicas no nosso ambiente.

E acrescenta: "É necessária mais investigação para saber de que forma a(s) fonte(s) de contaminação por dioxinas e PFAS pode(m) reduzir a carga tóxica no ambiente através de uma verdadeira gestão correta em benefício da saúde humana e ambiental como solução sustentável".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Saquetas de chá, comida para levar e cachorros-quentes associados a níveis elevados de "químicos eternos", revela estudo norte-americano

Parlamento Europeu em desacordo com a ação dos Estados-Membros face à poluição

Ponto de viragem na Amazónia: 47% da floresta ameaçada pelas alterações climáticas e pela desflorestação