Poluição do ar na UE continua elevada e a causar muitas doenças

Nas cidades, os transportes são a principal fonte de poluição
Nas cidades, os transportes são a principal fonte de poluição Direitos de autor Michel Euler/ AP
De  Gregoire LoryIsabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Embora a qualidade do ar esteja a melhorar na União Europeia (UE), os níveis de poluição ainda são muito altos. A Agência Europeia do Ambiente (AEA) salienta que os 27 países não estão a conseguir cumprir as suas próprias normas, e muito menos as estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde.

PUBLICIDADE

"Existem, naturalmente, muitos poluentes atmosféricos diferentes, mas os que são mais graves ou mais nocivos são as partículas finas. As nossas mais recentes estimativas indicam que 253 mil mortes podem ser atribuídas a este poluente", disse Leena Ylä-Mononen, diretora da Agência Europeia do Ambiente, em entrevista à euronews, sexta-feira, dia da publicação do mais recente relatório.

"São mortes que poderiam ser evitadas através de medidas corretas", acrecentou a diretora, que realçou que a qualidade do ar está a melhorar na Europa, mas que a poluição causa várias doenças e acarreta custos significativos para os sistemas de saúde.

No caso das partículas finas, houve uma quebra nos óbitos de 41%, entre 2005 e 2021. Mas outros gases tóxicos continuam a ser preocupantes: a poluição por dióxido de azoto é responsável por 52 mil morte; e a exposição aguda ao ozono é responsável por 22 mil.

Nas cidades, os transportes são a principal fonte de poluição e, noutras áreas, o aquecimento doméstico com combustíveis sólidos, tais como o carvão ou a madeira, também afeta a qualidade do ar.

É importante notar que, pela primeira vez, o nosso relatório analisa mais pormenorizadamente várias doenças e o impacto da poluição atmosférica no agravamento destas doenças. É o caso sa asma ou as doenças cardíacas crónicas.
Leena Ylä-Mononen
Diretora, Agência Europeia do Ambiente

Se as doenças rerspiratorias estão mais associadas a esta poluição, há outras a vigiar. "No caso mais grave, provoca doenças que conduzem rapidamente à morte, como por exemplo, o cancro do pulmão", disse Leena Ylä-Mononen. 

"Mas é importante notar que, pela primeira vez, o nosso relatório analisa mais pormenorizadamente várias doenças e o impacto da poluição atmosférica no agravamento destas doenças. É o caso da asma ou das doenças cardíacas crónicas. Portanto, a qualidade de vida é, em muitos aspetos, prejudicada pela poluição atmosférica, ainda hoje, na Europa", explicou a diretora.

O relatório da ASA salienta, também, que as alterações climáticas, e em particular o aumento das temperatura nas cidades, estão a prejudcar a qualidade do ar, com impactos negativos na saúde dos cidadãos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Deslizamento de terras tóxicas ameaça aldeia dinamarquesa

Sarajevo lidera a lista das cidades mais poluídas do mundo

Atividade doméstica e transportes são principais responsáveis pelas mortes devido à poluição do ar