Muçulmanos belgas preocupados com eventual reações anti-Islão

Muçulmanos belgas preocupados com eventual reações anti-Islão
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A comunidade muçulmana na Bélgica está preocupada com as repercussões que o atentado de quarta-feira em Paris pode provocar junto da religião

PUBLICIDADE

A comunidade muçulmana na Bélgica está preocupada com as repercussões que o atentado de quarta-feira em Paris pode provocar junto da religião islâmica, seguida neste país por cerca de 7 mil pessoas. A maioria dos muçulmanos belgas concentra-se em Bruxelas e juntam-se para rezar ora na Grande Mesquita ora no Centro Islâmico e Cultural da capital belga.

Um dos frequentadores do centro disse-nos esperar “que os cidadãos belgas e os cidadãos do mundo não misturem tudo no mesmo saco”. “Nós não somos terroristas. Nós somos muçulmanos. Somos pacíficos. A nossa religião ensina-nos a ser gentis e a comungar. É esse o apelo da nossa religião”, garante.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)0; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_PT/all.js#xfbml=1”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));Publicação de Islam beter begrijpen in België.

Um outro considerou “os atos terroristas” cometidos no jornal Charlie Hebdo “são inadmissíveis”. “Nós, enquanto muçulmanos, somos pessoas que desejamos a paz. Nós queremos viver em paz. Para nós, este tipo de atos não podem ser tolerados nem pelo Islão nem certamente por pessoa alguma”, defendeu.

Toutes les associations musulmanes qui font des communiqués hativement concernant #CharlieHebdo aident à la stigmatisation des musulmans

— Islamic Events (@IslamicEventsBe) 7 janeiro 2015

Refira-se, por último, que Seyf Abdel Hady, o Imã e orador do Centro Islâmico e da Grande Mesquita de Bruxelas, condenou categoricamente o trágico ataque de quarta-feira contra o jornal Charlie Hebdo, em que morreram 12 pessoas, qualificando-o como um ato terrorista e criminoso que nada tem a ver com o Islão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE e Reino Unido chegam a acordo sobre "grandes linhas políticas" relativamente a Gibraltar

"Estado da União": Acórdão sobre clima e acordo sobre migração

Bélgica investiga rede russa suspeita de pagamentos a eurodeputados