Ministros europeus da Saúde debatem pandemia em Bruxelas

Ministros europeus da Saúde debatem pandemia em Bruxelas
Direitos de autor AFPTV
Direitos de autor AFPTV
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nova variante do coronavírus, Ómicron, é um dos pratos fortes do encontro. Vacinação obrigatória não consta da agenda oficial da reunião

PUBLICIDADE

A vacinação contra a Covid-19 deve tornar-se obrigatória?

A questão continua a gerar debates intensos, mas não consta, oficialmente, da agenda do encontro dos ministros europeus da Saúde reunidos, esta terça-feira, em Bruxelas.

Ainda assim, a pergunta impõe-se perante uma nova vaga da pandemia e com o surgimento da nova estirpe do coronavírus, Ómicron. 

De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, a taxa geral de notificação de casos de COVID-19 para a União Europeia e o Espaço Económico Europeu foi de 742,1 por cada cem mil habitantes na semana que terminou a 28 de novembro.

O número que tem aumentado continuamente nas últimas oito semanas.

"Compreendo o debate [sobre a vacinação obrigatória]. Esta discussão é realmente necessária. É muito importante que se faça a distinção entre as pessoas que estão vacinadas e as que não estão no dia-a-dia: em restaurantes, transportes, onde quer que seja. Mas a questão de saber se a vacinação obrigatória é a maneira certa de fazer isso ou não é um debate que precisamos de ter", sublinhou, à chegada ao encontro, o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, prestes a cessar funções.

Para a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, o debate sobre a vacinação obrigatória é importante.

Para já, pelo menos, os ministros da Saúde lembram que o assunto é da competência dos Estados-membros.

"A resposta é mais vacinação. Se deve ser obrigatória ou não, penso que neste momento continua a ser uma questão para cada Estado-Membro decidir. O que não quer dizer que no futuro não precisemos de tomar uma decisão coletiva, como uma União, sobre isso. Mas, por enquanto, é preciso mais vacinação incluindo a dose de reforço", referiu o ministro da Saúde de Malta, Christopher Fearne.

A Áustria foi o primeiro Estado-membro a anunciar que a vacinação contra a Covid-19 se tornará obrigatória, a partir de 1 de fevereiro do ano que vem.

A Alemanha mostrou-se a favor de fazer o mesmo.

Já a Grécia, tornou a vacina obrigatória para os maiores de 60 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha: oposição pede explicações ao primeiro-ministro Pedro Sánchez

Ataque russo à NATO significaria derrota para Moscovo, diz ministro polaco dos Negócios Estrangeiros

Primeiro-ministro espanhol equaciona demitir-se devido a investigação contra a mulher