EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Polémica na União Europeia leva economista americana a desistir de lugar-chave

Comissária Europeia Margarethe Vestager lamenta desistência de Fiona Scott Morton
Comissária Europeia Margarethe Vestager lamenta desistência de Fiona Scott Morton Direitos de autor John Thys, Pool via AP
Direitos de autor John Thys, Pool via AP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Norte-americana desiste do cargo de Economista-chefe da Concorrência europeia devido à nacionalidade e antigas ligações a grandes empresas

PUBLICIDADE

A norte-americana Fiona Scott Morton desistiu do lugar de Economista-chefe da Concorrência na União Europeia devido à polémica grada sobre a sua nacionalidade e a ligação a grandes empresas.

Depois de ter visto a Comissão Europeia defende-la na sexta-feira como a escolhida de entre uma dezenas de candidatos, Scott Morton apresentou a renúncia na quarta-feira numa carta enviada à Comissária Europeia Margrethe Vestager, que a revelou pelas redes sociais.

"Dada a controvérsia política causada pela escolha de um não-europeu para ocupar este cargo e a importância para a Direção-Geral da Concorrência de ter o apoio total da União Europeia para regular, decidi que o melhor caminho seria desistir", explicou Scott Morton.

"A professora Fiona Scott Morton informou-me da sua decisão de não aceitar o cargo de Economista-chefe da Concorrência. Aceito-o com pesar", declarou Vestager, pelo Twitter, acrescentando ter esperança que a economista "continue a usar as extraordinárias competências para promover uma forte aplicação das regras da concorrência."

A nomeação da antiga integrante da administração Obama e ex-consultora da Amazon, Apple e Microsoft destinava-se a um lugar de regulação dos gigantes da tecnologia, o que provocou grande polémica em Bruxelas, nomeadamente pelos líderes dos quatro maiores grupos políticos do Parlamento Europeu, com alegações de conflito de interesses e um eventual risco de Washington interferir nas decisões europeias.

Macron junta-se aos críticos

O Presidente de França juntou-se aos críticos na terça-feira, manifestando dúvidas sobre a escolha da Comissão depois de já alguns ministros do executivo gaulês o terem feito a meio da semana passada.

Emmanuel Macron é um opositor declarado à alegada influência descontrolada das grandes empresas tecnológicas americanas no mercado europeu.

Perante as várias críticas, Scott Morton entendeu que não iria ter o necessário apoio unânime dentro da União Europeia para trabalhar e optou por desistir de um cargo que deveria começar a desempenhar a 1 de setembro. 

A Comissão Europeia vai ter agora de partir para uma segunda escolha para liderar a Direção-geral da Concorrência dos "27".

Outras fontes • AFP, AP

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ativista italiana candidata às eleições europeias passa para prisão domiciliária na Hungria

Partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha expulso do grupo Identidade e Democracia

"Comportamento anómalo": homem que fez ameaça de bomba na sede do Chega levado para unidade de saúde