EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Boekel quer ser exemplo a seguir pelas aldeias ecológicas

Em parceria com The European Commission
Boekel quer ser exemplo a seguir pelas aldeias ecológicas
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Aurora Velez
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Eco-aldeia neerlandesa foi considerada a organização mais sustentável dos Países Baixos em 2021

Vista do céu, parece uma casa de flores. A Ecovillage Boekel é uma comunidade habitacional quase autossuficiente e foi eleita a organização mais sustentável dos Países Baixos em 2021.

Num mundo assolado por crises, guerras e perturbações climáticas, este projeto europeu oferece soluções concretas para a regeneração social, económica e cultural.

"As Nações Unidas afirmam que, em 2030, metade dos seres humanos terá problemas com as alterações climáticas. Estamos a tentar ser autossuficientes em termos de alimentos, água e muita da nossa energia", afirmou Ad Vlems, gestor de projeto da Ecovillage Boekel.

"Boekel faz parte de um projeto mundial de eco-aldeias que procuram ser mais resistentes às alterações climáticas."

A aldeia ecológica Boekel, no sul dos Países Baixos, é composta por 36 apartamentos sustentáveis pioneiros. Estes edifícios redondos, amigos do clima, retêm 800 toneladas de C02.

Quarenta e oito pessoas - fervorosas defensoras da economia circular - estão envolvidas neste projeto europeu onde nada é desperdiçado, nem uma gota de água, nem um quilowatt de energia.

"O mais engraçado é que a maioria dos projectos tem muitos problemas com leis e regulamentos. Isso torna as coisas difíceis para eles", explica Ad Vlems.

"“Mas os nossos ministros e ministérios ficaram tão satisfeitos conosco que permitiram que fizéssemos parte da Lei da Crise e da Recuperação. E nessa lei,só podem entrar projetos sustentáveis e inovadores. Se o que fazemos funciona, então eles alteram as leis normais. Assim, nos Países Baixos, foram actualizadas leis com base nas experiências dos 26 projetos no âmbito da Lei da Crise e da Recuperação"

Annemarie Wilhelmund Hendriksen vive nesta comunidade há um ano e meio. As casas são construídas com materiais bio-sustentáveis, como a madeira e o cânhamo, e esta foi uma das razões pelas quais ela decidiu levantar-se e mudar-se para Boekel.

"Valorizei o facto de estarem a construir com cânhamo. Achei que era um material muito bonito e que fazia um ótimo isolamento e casas saudáveis", disse Annemarie à Smart Regions.

"Estas casas absorvem mais CO2 do que colocaram no ar, mas não foi só isso. Foi também por esta bela horta onde tentamos cultivar alimentos para todos nós, para as 50 pessoas que aqui vivem".

Os residentes estão a cultivar a chamada "floresta alimentar", na qual plantaram fruta e legumes entre as árvores e os arbustos - tornando o jardim mais resistente à chuva forte, à seca e ao calor.

O orçamento total do projeto é de 10 milhões de euros, dos quais 2,5 milhões de euros foram concedidos pela província de Noord-Brabant sob a forma de empréstimos e subvenções, 1 milhão de euros pela política de coesão da UE e meio milhão pelo Ministério da Energia e do Clima dos Países Baixos.

Boekel é um tubo de ensaio para todo o tipo de inovações, como o sistema de aquecimento César, que armazena a energia produzida pelos 600 painéis solares da ecovila.

"A unidade de armazenamento atinge uma temperatura de 450ºC e, depois, o calor é transferido para os sistemas de aquecimento no chão das casas. É um círculo, um sistema sem emissões de CO2", afirma Gonnie van der Vorst, do departamento de relações públicas do CESAR - armazenamento de energia.

A Ecovillage Boekel ganhou vários prémios pela sustentabilidade dos seus edifícios e está a liderar o caminho para um futuro mais verde.

Partilhe esta notícia