EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Extrema-direita europeia cerra fileiras em Madrid antes das eleições

Reunião da extrema-direita europeia em comício do Vox em Madrid, Espanha.
Reunião da extrema-direita europeia em comício do Vox em Madrid, Espanha. Direitos de autor ESRTVE
Direitos de autor ESRTVE
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Evento organizado pelo partido espanhol Vox juntou em Madrid várias personalidades da extrema-direita europeia, incluindo Marine Le Pen, bem como Giorgia Meloni e Viktor Orbán que gravaram mensagens para o comício. André Ventura e presidente da Argentina também discursaram na capital espanhola.

PUBLICIDADE

Algumas das principais figuras da extrema-direita europeia juntaram-se este domingo em Madrid para unir forças a três semanas das eleições europeias

Num recinto com 11 mil pessoas, o partido espanhol Vox, liderado por Santiago Abascal, foi o anfitrião de um encontro que juntou personalidades como Marine Le Pen, Giorgia Meloni e Viktor Orbán, com os líderes dos governos de Itália e da Hungria a participarem à distância.  

Marine Le Pen, ex-presidente do partido de extrema-direita francês Rassemblement National, disse que as próximas eleições europeias terão de servir para relançar a Europa.

Le Pen rejeitou um "superestado europeu centralizado" e pediu uma Europa das nações, que possa "escolher quem entra no seu território e quem sai dele".

Giorgia Meloni, por sua vez, salientou que é tempo de "mobilização" e fez um apelo ao voto dos jovens.

"Vocês são o único futuro possível para a Europa", afirmou Meloni.

O presidente do Chega, André Ventura, também discursou na capital espanhola, sublinhando a necessidade de combater o "socialismo e a corrupção". 

"Deixei clara a minha convicção de que serei o próximo primeiro-ministro de Portugal.", escreveu Ventura na rede social X. 

Um dos grandes protagonistas do evento foi o presidente da Argentina, Javier Milei, que também fez críticas ao socialismo, acusando o primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sanchez, com quem recusou encontrar-se, de trazer "pobreza e morte" aos espanhóis.

Os analistas e as sondagens apontam para uma forte ascensão da extrema-direita nas próximas eleições de junho.

Manifestação contra a extrema-direita

Cerca de mil pessoas juntaram-se em protesto no exterior do recinto onde decorreu o encontro da extrema-direita europeia.

Os manifestantes entoaram cânticos e agitaram cartazes de oposição ao "fascismo", mostrando preocupação com o crescimento dos movimentos nacionalistas, em Espanha e no resto da Europa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

É possível cooperar com "algumas" personalidades de extrema-direita, afirma Charles Michel

Supersondagem Euronews: extrema-direita vence europeias em França

Portugal reforça expansão da extrema-direita na paisagem da UE