EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Europeias: Macron, jogo ou coragem política?

Emmanuel Macron dissolveu a Assembleia Nacional
Emmanuel Macron dissolveu a Assembleia Nacional Direitos de autor Ludovic Marin/AP
Direitos de autor Ludovic Marin/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Resultados das eleições europeias confirmam a ascenção da extrema-direita. Em França, Macron dissolveu a Assembleia Nacional e convocou eleições antecipadas para 30 de junho e 7 de julho.

PUBLICIDADE

Em França, as eleições europeias tiveram consequências imediatas na cena política nacional.

Ato de coragem ou loucura? Na sequência da derrota do seu partido Renaissaince, o presidente da república francesa, dissolveu a Assembleia Nacional e anunciou eleições legislativas antecipadas. Os franceses deverão voltar às urnas em 30 de junho e 7 de julho.

Apesar do apelo de Emmanuel Macron, durante a campanha eleitoral, a um bloqueio da extrema-direita, o União Nacional (Rassemblement National) obteve a maioria dos votos. Segundo alguns analistas, seria difícil não retirar consequências desta demanda.

Se alguns foram surpreendidos por esta decisão do presidente francês, outros atribuem-na ao facto de existir, em parte, uma certa nacionalização dos temas políticos e uma "hiper-personalização" em torno da figura de Macron. Situação que não é rara nem limitada a França.

Macron poderá perder a capacidade de influenciar a agenda europeia.

Este novo calendário francês não deverá perturbar as nomeações para os cargos das instituições europeias. O Conselho Europeu terá lugar no final de junho e a nomeação do Presidente da Comissão Europeia, em julho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jogada arriscada ou estratégia calculada? O que dizem os analistas da decisão de Macron

França: extrema-direita de Le Pen consegue vitória histórica, Macron anuncia eleições antecipadas

Emmanuel Macron anuncia eleições antecipadas depois de uma dura derrota nas eleições europeias