EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Primeiro-ministro grego muda membros do Governo após as eleições europeias

O primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis vota durante as eleições europeias em Atenas, no domingo, 9 de junho de 2024.
O primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis vota durante as eleições europeias em Atenas, no domingo, 9 de junho de 2024. Direitos de autor Yorgos Karahalis/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Yorgos Karahalis/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O novo governo de Mitsotakis pretende concentrar-se no custo de vida e nas políticas laborais. E, na sequência de uma campanha europeia bem sucedida, o primeiro-ministro fez algumas alterações nas pastas governativas.

PUBLICIDADE

O primeiro-Ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, ajustou o seu Governo na sexta-feira, centrando-se no custo de vida e nas políticas laborais, após a vitória do seu partido de centro-direita nas eleições parlamentares europeias.

Apesar da recente descida da inflação, as sondagens mostram, sistematicamente, que a principal preocupação da maioria dos gregos é o custo de vida, uma vez que a pandemia e a guerra na Ucrânia contribuíram para o aumento dos preços no país do sul da Europa.

Takis Theodorikakos, 59 anos, que anteriormente ocupou as pastas do Interior e da Ordem Pública, vai chefiar o Ministério do Desenvolvimento, o principal responsável pela supervisão dos preços ao consumidor.

O partido Nova Democracia, de Mitsotakis, ficou sem grande dificuldade em primeiro lugar nas eleições parlamentares europeias de 9 de junho, obtendo 28,3% dos votos - quase o dobro dos 14,9% do partido de esquerda Syriza, principal partido da oposição.

Apesar de ter aumentado a vantagem sobre Syriza nas eleições europeias anteriores, foi considerado um resultado fraco para o partido do governo, que perdeu quase cinco pontos percentuais em comparação com o resultado de 2019. A afluência às urnas foi baixa, com quase 6 em cada 10 eleitores a absterem-se, e os partidos de direita registaram ganhos.

Mitsotakis também substituiu os seus ministros do Trabalho, do Interior e da Agricultura, e nomeou o antigo ministro da Defesa, Nikos Panagiotopoulos, para substituir o ministro da Migração Dimitris Kairidis.

A Grécia é um ponto de entrada chave para milhares de migrantes que procuram uma vida melhor na União Europeia. A maioria parte chega em pequenas embarcações, provenientes da Turquia, mas as chegadas têm diminuído nos últimos anos.

As principais pastas — Finanças, Negócios Estrangeiros e Defesa — não sofreram alterações.

Mitsotakis chegou ao poder em 2019, após mais de quatro anos de governo de Syriza durante a crise financeira do país, e foi reeleito com uma vitória esmagadora no verão de 2023.

Os novos ministros serão formalmente empossados na sexta-feira e a primeira reunião do Governo terá lugar no sábado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da França em risco de perder influência ao nível da UE

"Resistir é uma forma de ganhar": Sánchez resiste ao fracasso das eleições europeias

Sérvia: Vučić acusa os países ocidentais de quererem atrasar a adesão à UE