EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Legislativas francesas: o dilema dos eleitores quando os candidatos se retiram

Cartazes de campanha do candidato do LREM, Gérald Darmanin, e do candidato do RN, Bastien Verbrugghe, na décima circunscrição do Nord, Tourcoing, em 3 de julho de 2024.
Cartazes de campanha do candidato do LREM, Gérald Darmanin, e do candidato do RN, Bastien Verbrugghe, na décima circunscrição do Nord, Tourcoing, em 3 de julho de 2024. Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Amandine Hess
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em francês

Em Tourcoing, o candidato da NFP retirou-se da corrida para bloquear a extrema-direita. Os eleitores terão de escolher entre Gérald Darmanin e o RN na segunda volta.

PUBLICIDADE

Devem manter a sua candidatura ou retirar-se para bloquear o caminho da extrema-direita? É este o dilema que enfrentam os candidatos qualificados que ficaram em terceiro lugar na primeira volta das eleições legislativas.

Na décima circunscrição do Nord, que inclui uma parte da cidade de Tourcoing, o candidato macronista e ministro do Interior, Gérald Darmanin, venceu por pouco a primeira volta, com 36% dos votos. Foi seguido de perto pelo candidato do Rassemblement National, Bastien Verbrugghe, que obteve 34% dos votos.

Leslie Mortreux, a candidata da Nova Frente Popular (NFP), ficou em terceiro lugar com 24% dos votos, tendo obtido os 12,5% dos votos necessários para se qualificar para a segunda volta. No entanto, decidiu retirar-se para bloquear o Rassemblement National.

Bloqueio do RN

O candidato da Révolution écologique pour le vivant (REV) (Revolução Ecológica para a Vida) falou de uma escolha difícil.

"É preciso reconhecer que Gérald Darmanin não é um macronista como os outros. Apesar disso, não podia olhar os eleitores nos olhos e dizer-lhes que não tinha feito tudo o que estava ao meu alcance para impedir a passagem da Frente Nacional", disse o candidato do LFI-REV à Euronews.

Uma decisão saudada pelo presidente da secção de Tourcoing do Partido Socialista.

"É uma decisão coerente que está em linha com as recomendações nacionais, mas também em linha com as convicções do eleitorado de esquerda, que sempre na sua história bloqueou o RN", garante Ali Laazaoui, chefe da secção do Partido Socialista em Tourcoing, à Euronews.

Eleitores divididos

No terreno, os eleitores estão divididos em relação à segunda volta. Alguns são favoráveis a que os candidatos que ficaram em terceiro lugar se demitam para bloquear o caminho da extrema-direita.

"Se eles se candidatarem, é certo que o RN vai ganhar. Por isso, é melhor tentar dar o voto a Darmanin", disse um eleitor de esquerda.

"Na primeira volta, votei à esquerda para travar o Rassemblement National, mas para a segunda volta estou hesitante em votar em Darmanin", explica Adam, 19 anos, trabalhador a tempo parcial na Mister Cook. Não quer deixar passar a extrema-direita, mas quer analisar os programas antes de meter o seu voto na urna.

"Acho que eles têm medo da RN. Têm medo e tentam defender-se, mas de qualquer forma não vão conseguir", diz um eleitor do Rassemblement National, de 18 anos, que tem a certeza de que o RN vai ganhar a maioria na Assembleia.

Cansados de serem convidados a votar "contra" o RN, em vez de "a favor" de um candidato que partilhe as suas convicções, outros eleitores estão relutantes em dar o seu voto a Gérald Darmanin, cujas posições podem ter ofendido os eleitores de esquerda.

"Temos realmente a impressão de que estamos num grupo político onde é um jogo entre eles e temos a impressão de que estamos fora do jogo. A quem é que perguntaram se estes acordos políticos eram bons? Basta dizer que estamos a atrapalhar. Até quando vamos ficar no caminho?", questionou a atriz Saliame Khéloufi, visivelmente emocionada.

89 resultados triangulares em 306

Após a vitória do Rassemblement National nas eleições europeias, o presidente Emmanuel Macron convocou eleições legislativas antecipadas para renovar a Assembleia Nacional.

A nível nacional, o Rassemblement National ficou em primeiro lugar na primeira volta das eleições legislativas, com 33,20% dos votos. A Nova Frente Popular ficou em segundo lugar, com 28,27% dos votos, seguida da coligação presidencial Ensemble, com 21,73%.

PUBLICIDADE

A elevada taxa de participação na primeira volta (66,7%) aumentou matematicamente o número de possíveis disputas triangulares, uma configuração em que três candidatos com mais de 12,5% dos votos se qualificam para a segunda volta.

Perante o resultado histórico do RN, a Nova Frente Popular e o Ensemble apelam a uma ofensiva contra o Rassemblement National. Para evitar qualquer dispersão de votos, os candidatos que ficaram em terceiro lugar foram convidados a retirar a sua candidatura.

Entre as duas voltas, 224 candidatos qualificados retiraram a sua candidatura. Por conseguinte, das 306 possíveis disputas triangulares na segunda volta, apenas 89 se realizarão efetivamente.

Será isto suficiente para impedir que o Rassemblement National obtenha uma maioria na Assembleia? Resultados a 7 de julho.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições francesas: mais de 200 candidatos desistem da segunda volta

Oposição une-se para evitar que extrema-direita vença a segunda volta das legislativas francesas

Vitória de Le Pen vai afetar as relações franco-alemãs?