EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Jejum intermitente pode ajudar diabéticos de tipo 2 a controlar o açúcar no sangue, diz estudo

Uma jovem faz um teste de glicemia.
Uma jovem faz um teste de glicemia. Direitos de autor AP Photo/Gadsden Times, Tammy McKinley
Direitos de autor AP Photo/Gadsden Times, Tammy McKinley
De  Gabriela Galvin
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Um novo estudo descobriu que o jejum intermitente pode ser uma intervenção inicial eficaz para os diabéticos de tipo 2, em vez da medicação.

PUBLICIDADE

De acordo com um novo estudo, o jejum intermitente pode ajudar as pessoas com diabetes tipo 2 em fase inicial a melhorar os seus níveis de açúcar no sangue, a perder peso e a baixar a tensão arterial.

Para o ensaio, cerca de 400 participantes na China tomaram os medicamentos antidiabéticos, metformina ou empagliflozina, ou seguiram um plano de jejum intermitente 5:2, em que as pessoas jejuavam durante dois dias não consecutivos da semana e passavam os outros cinco a tomar um pequeno-almoço e um almoço normais e a comer um substituto de refeição ao jantar.

No final do estudo de 16 semanas, os participantes que adoptaram a dieta 5:2 registaram uma redução do nível de açúcar no sangue de 1,9%, em comparação com 0,3% e 0,4% entre os que tomaram os medicamentos.

Além disso, 80% das pessoas que adoptaram a dieta 5:2 apresentaram níveis de açúcar no sangue que as colocaram em remissão da diabetes, o que significa que os seus níveis voltaram a um nível sem diabetes sem necessidade de medicação, de acordo com as normas de um grupo internacional de peritos.

Os resultados, publicados na revista JAMA Network Open, sugerem que as intervenções no estilo de vida podem ser mais eficazes do que os medicamentos para as pessoas com excesso de peso e com diabetes de tipo 2 recentemente diagnosticada, segundo os investigadores de nove centros médicos chineses.

"Estou convencida de que os protocolos de jejum e a perda de peso com mudanças no estilo de vida são muito importantes e devem ser sempre a base de referência", disse à Euronews Health Alexandra Kautzky-Willer, diretora da divisão de endocrinologia e metabolismo da Universidade Médica de Viena, que analisou os resultados mas não participou no estudo.

Em todo o mundo, cerca de 1 em cada 10 adultos - 537 milhões de pessoas - tem diabetes, de acordo com a Federação Internacional de Diabetes.

A diabetes tipo 2 está associada à obesidade e à baixa atividade física e, embora medicamentos como a insulina e os medicamentos para perda de peso possam ajudar os doentes a gerir a doença, a investigação mostra que as mudanças na dieta e noutros estilos de vida são fundamentais para reduzir os riscos para a saúde.

"Neste momento, temos tantos medicamentos novos", disse Kautzky-Willer, como os medicamentos para perda de peso e para a diabetes Ozempic e Wegovy.

"É bom ter tanto a dieta como, se necessário, os medicamentos a longo prazo, porque a diabetes tipo 2 é uma doença crónica para toda a vida".

O ensaio foi financiado pela Beijing MetabolicControl Technology Co Ltd, que fabrica o substituto de refeição de baixas calorias utilizado no estudo, embora os investigadores tenham afirmado que tal não teve qualquer impacto nos resultados.

Os investigadores afirmaram ainda que é necessária mais investigação para saber se foi a perda de peso ou a própria abordagem do jejum 5:2 que melhorou os níveis de açúcar no sangue e quais são os resultados a longo prazo das intervenções no estilo de vida para o controlo da diabetes.

A investigação do Reino Unido, por exemplo, concluiu que, embora muitos doentes com diabetes tipo 2 tenham inicialmente perdido peso e atingido a remissão, apenas 13% continuavam em remissão ao fim de cinco anos.

Mesmo assim, durante um período de 12 anos, a remissão da diabetes está associada a um menor risco de complicações cardíacas e renais em comparação com os doentes que nunca estiveram em remissão.

Uma vez que pode ser difícil manter o aumento de peso e a diabetes tipo 2 à distância, um plano que envolva apenas dois dias de jejum intermitente pode ser mais fácil de manter do que uma mudança de dieta mais extrema, disse Kautzky-Willer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Medicamento popular para a obesidade pode ajudar a tratar a apneia do sono

Investigadores infetam 36 pessoas com COVID para compreender por que algumas têm menos probabilidades de contrair o vírus

A ciência das sestas: As sestas longas estão associadas a um maior risco de obesidade, revela estudo