A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nicolas Sarkozy 2007 - 2012

Nicolas Sarkozy 2007 - 2012
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

2007:
 
A 6 de maio de 2007, Nicolas Sarkozy chegou ao Elíseu depois de derrotar a socialista Ségolène Royal, na segunda volta das presidenciais.
 
Dez dias mais tarde, tomou posse do cargo e fez a primeira visita ao estrangeiro como Chefe do Estado. A escolha foi muito simbólica. O presidente visitou Berlim para reforçar o histórico eixo franco-alemão e se encontrar com Angela Merkel.
  
21 de agosto, aprovou lei sobre o “escudo fiscal”, que protege os grandes patrimónios, desencadeando a ira da esquerda francesa.
  
No dia 19 de outubro, a União Europeia ratificou o tratado de Lisboa. O presidente francês assumiu uma parte da responsabilidade do texto, o que surpreendeu os parceiros. 
 
2008:
 
Em 2008, Sarkozy contraiu matrimónio com a Top Model e cantora Carla Bruni.
 
O dia 12 de agosto, constituiu uma vitória para o então detentor da presidência rotativa da UE: conseguiu negociar o cessar-fogo entre Rússia e a Geórgia.
 
Em setembro, na cimeira da zona euro, aprovou o primeiro plano de salvamento para o sector bancário
 
No fim do ano, anunciou um plano de de ajuda de 26 mil milhões de euros para lutar contra a crise a nível nacional.
 
2009:
 
Em março, França anuncia seu regresso fomal ao comando integrado da OTAN.
 
Em junho confirma a petição de um controvertido empréstimo do Estado que não todos entendem. A dívida nacional superava já o 70% do PIB francês.
 
Chega setembro e Dominique de Villepin, inimigo declarado do presidente, passa pelos tribunais para responder pela suposta conspiração do caso Clearstream.
 
 
2010:
No novo ano começa com a posta em liberdade de De Villepin. Mas só passam seis meses dantes de que outro escândalo sacuda ao presidente. Em junho estoira o caso Bettencourt, que vincula à maior fortuna francesa com o financiamento da campanha presidencial de Sarkozy
 
O 30 de julho, pronuncia o discurso de Grenoble, onde o chefe do Estado vincula a criminalidade à imigração, com os gitanos no ponto de olha.
 
10 de novembro: Sarkozy aprova a reforma das pensões. A idade legal para a aposentação em França coloca-se em 62 anos.
 
O 14 de novembro, o ministro de Trabalho, Eric Woerth cai-se do governo por causa de seu suposto envolvimento no escândalo Bettencourt.
 
 
2011
Em março França e seus aliados lançam a ofensiva aérea contra a Líbia do coronel Gadafi. E em abril, contribui à queda do presidente marfileño Laurent Gbagbo.
Em outono nasce Giulia, a primeira filha do casal Bruni-Sarkozy, só num dia dantes de que Gadafi seja capturado e executado pelos rebeldes em Líbia.
Em novembro Sarkozy organiza a cimeira do G20 na cidade de Cannes. E o 9 de dezembro os países da UE lembram um novo tratado de disciplina orçamental.
 
 
2012
O 13 de janeiro, a agência de califiación de risco Standard and Poor’s rebaja a nota francesa e arrebata-lhe a triplo A.
 
O 29 de janeiro, o presdiente francês propõe uma subida do IVA e uma baixada de impostos para as empresas com o fim de incentivar a competitividade.
 
O 6 de fevereiro, Sarkozy recebe em Paris o apoio de Angela Merkel face à reeleição. E no dia 16 desse mesmo mês, o presidente anuncia sua candidatura a um novo mandato.