A urgência depois do massacre numa escola do Paquistão

A urgência depois do massacre numa escola do Paquistão

Enquanto os maqueiros e os paramédicos transportavam o máximo de feridos para os hospitais do Paquistão, as famílias atormentadas tentavam saber notícias dos filhos, depois do assalto talibã a uma escola de Penshawar que fez 142 mortos, 132 dos quais crianças, e mais de 130 feridos.

Enquanto os maqueiros e os paramédicos transportavam o máximo de feridos para os hospitais do Paquistão, as famílias atormentadas tentavam saber notícias dos filhos, depois do assalto talibã a uma escola de Penshawar que fez 142 mortos, 132 dos quais crianças, e mais de 130 feridos.