Expansão da NATO aos Balcãs enerva Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com LUSA
Expansão da NATO aos Balcãs enerva Rússia

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO convidaram hoje o Montenegro a juntar-se à aliança militar liderada pelos Estados Unidos, uma decisão contestada por Moscovo, que a considera uma ameaça à estabilidade nos Balcãs.

O início de negociações de adesão é uma decisão histórica para que o Montenegro se torne o 29.º membro lembrou o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg que deu as boas vindas ao futuro novo membro.

“ A adesão à NATO é bom para o Montenegro, é bom para a Europa e é bom para toda a aliança. Então, mais uma vez, bem-vindo”.

Igor Luksic, ministro dos Negócios Estrangeiros do Montenegro considera o convite encorajador:
“Eu acredito que este convite é um grande encorajamento para todos os países que aspiram a aderir à NATO E é uma boa notícia especialmente para os Balcãs Ocidentais, porque outro país dos Balcãs Ocidentais como parte da NATO significa uma forte estande para a segurança ea estabilidade do toda a região “.

A “política de portas abertas” da NATO está inscrita no seu tratado de fundação, no qual assegura estar disposta a integrar “qualquer Estado que esteja em posição de cumprir os princípios do tratado e de contribuir para a segurança na zona do Atlântico Norte”.

Na última cimeira da NATO, celebrada no País de Gales em 2014, os líderes aliados pediram para que fosse tomada uma decisão sobre a adesão do Montenegro nesta reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros.

A partir de agora vai começar a negociação do protocolo de adesão, com a “integração plena” a decorrer apenas seis a nove meses mais tarde, segundo fontes diplomáticas.

Montenegro é um país candidato, que se uniu à associação pela paz da Aliança em 2006 – ano em que se separou da Sérvia – e que posteriormente foi convidado a entrar no plano de ação para a adesão em 2009.

Os últimos países a unirem-se à NATO foram a Albânia e a Croácia em 2009, que tinham sido convidados na cimeira de Bucareste em abril de 2008.

Além do Montenegro, são atualmente candidatos a Bósnia-Herzegovina, a Geórgia e a antiga República Jugoslava da Macedónia.