Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

França: caminhos-de-ferro juntam-se a protestos contra reforma laboral

França: caminhos-de-ferro juntam-se a protestos contra reforma laboral
Tamanho do texto Aa Aa

A nove dias do início do Euro 2016, o governo francês deve fazer face a uma nova frente de contestação social, com a greve ilimitada lançada pelos trabalhadores dos caminhos-de-ferro, que associam reivindicações internas à exigência generalizada da retirada da nova lei do trabalho.

Segundo as estimativas, durante o europeu de futebol, apenas deverão circular entre 4 e 6 de cada dez comboios franceses.

Uma utente diz “compreender as reivindicações”, mas acrescenta que será “um problema se perdurar”.

Outra critica a greve, afirmando que “há quem esteja muito pior e tenha menos benefícios”.

A vaga de contestação, que entrou no quarto mês, está também marcada por bloqueios a refinarias, centrais nucleares e centros de tratamento de lixo. É o caso das instalações de processamento de detritos de Ivry-sur-Seine, as mais importantes da região de Paris, onde um sindicalista acusa o primeiro-ministro de ter uma “conceção errada do diálogo social”, razão pela qual os protestos “sobem de tom”.

A rede de transportes públicos da capital francesa prevê também uma paralização por tempo indeterminado a partir de amanhã, enquanto os sindicatos da aviação civil convocaram uma greve a partir de sexta-feira.