EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Casa Branca despede Procurador Federal de Manhattan

Casa Branca despede Procurador Federal de Manhattan
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Preet Bharara recusou demitir-se na sexta-feira, contrariando indicações do Procurador-Geral Jeff Sessions.

PUBLICIDADE

Com Associated Press

Um Procurador Federal de Manhattan, conhecido por ser particularmente duro na luta contra a corrupção, diz ter sido despedido do cargo depois de ter recusado deixar o posto de livre vontade.

Preet Bharara anunciou a decisão tomada pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos através da sua conta na rede social Twitter.

O Procurador explicou que “não renunciou ao cargo”, mas que “foi despedido.”

I did not resign. Moments ago I was fired. Being the US Attorney in SDNY will forever be the greatest honor of my professional life.

— Preet Bharara (@PreetBharara) 11. März 2017

O tweet foi publicado depois de ter sido divulgado que não tinha intenções de deixar o cargo, no que foi uma resposta ao pedido do Procurador-Geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions. Sessions deu indicações a todos os que tivessem sido nomeados pelo antigo presidente Barack Obama abandonassem os seus postos de trabalho.

Preet Bharara disse ainda, no tweet, que ter trabalhado como Procurador no distrito sul de Nova Iorque tinha sido “a maior honra da sua carreira.”

Preet Bharara fora nomeado por Obama em 2009.

Trump tinha-lhe pedido que permanecesse no cargo

O então presidente eleito Donald Trump tinha pedido a Bharara que permanecesse no cargo, durante um encontro que mantiveram na Torre Trump, na cidade de Nova Iorque, em novembro.

Até ao momento, a Casa Branca não explicou quais os motivos que levaram a administração Trump a mudar de ideias relativamente ao cargo do Procurador Federal de Manhattan.

Preet Bharara tornou-se conhecido ao perseguir cargos públicos acusados de corrupção, fossem eleitos do campo Democrata ou Republicano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos