Última hora

Chefe da Marinha destituído mas argentinos querem é respostas

Chefe da Marinha destituído mas argentinos querem é respostas
Tamanho do texto Aa Aa

A crise provocada pelo desaparecimento do ARA San Juan está longe de conhecer um ponto final e um mês depois da última comunicação do submarino, o governo argentino anunciou a destituição do responsável máximo da Marinha, Marcelo Srur. Além da mudança na chefia, será ainda formada uma comissão investigadora, independente do Ministério da Defesa e com orçamento próprio e ilimitado.

Medidas que não servem para diminuir a inquietude de um país que continua sem saber o que se passou a bordo do ARA San Juan.

Para Marcela Moyano, esposa de um dos 44 tripulantes, é reconfortante saber que contam com o apoio das pessoas e que não irão desc ansar enquanto a verdade não for revelada e o submarino encontrado.

As autoridades argentinas prosseguem as buscas a cerca de 400 quilómetros da costa, numa região onde se acredita ter deflagrado uma explosão horas antes do desaparecimento.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.