Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Refugiados encontram "a sorte" em Portugal

Refugiados encontram "a sorte" em Portugal
Tamanho do texto Aa Aa

Em Idanha-a-Nova, no centro de Portugal, alguns refugiados reencontraram "a sorte", depois de terem arriscado a vida para chegar à Europa. Fugiram da Eritreia em busca de segurança e encontraram-na não no país que idealizaram, mas no que lhes calhou em sorte no Programa de Recolocação da União Europeia.

"Eu tenho sorte. Muitos dos nossos amigos estão a ficar no mar quando viajam da Líbia ou do Egito para Itália. Morrem afogados no meio do mar. Eu tenho sorte", salienta Said, proveniente da Eritreia.

Os refugiados estão a ser acolhidos em Idanha-a-Nova, no âmbito de um projeto-piloto de atração de investimento e de mão-de-obra.

“Nós contratámos os refugiados, porque estamos num concelho desertificado, com pouca população e precisamos de juventude. De início, estávamos com receio se eram bons ou maus trabalhadores. São bons trabalhadores, e acho que é uma mais-valia para o concelho”, realça Pedro Guerra, gerente das Hortas de Idanha.

Ao prometer acesso mais rápido a uma habitação e emprego no setor agrícola, o município português de Idanha-a-Nova espera conseguir demonstrar que as áreas rurais podem competir com as cidades cosmopolitas.