Quando o café e o cacau se tornam em obras de arte

Quando o café e o cacau se tornam em obras de arte
De  João Paulo Godinho
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ulrich Abé é um artista marfinense de 29 anos que tem inovado a sua expressão artística com a inclusão de elementos pouco comuns.

PUBLICIDADE

Ulrich Abé dá os derradeiros retoques na sua obra mais recente: um retrato do antigo presidente do Burkina Faso, Thomas Sankara. Como em todos os quadros que faz, Abe recorre a dois ingredientes pouco comuns: o café e o cacau em pó.

Técnicas que este artista marfinense adotou após o conselho de um professor de arte, que encorajou os alunos a experimentarem outros elementos na pintura.

Para este filho de um produtor de café, a escolha desta matéria-prima acabou por surgir de forma natural.

"Através do meu trabalho, eu presto homenagem aos agricultores e a todas as pessoas que trabalham duro na sombra e com o seu suor para nos fornecerem dois dos produtos mais valiosos para a economia do país. Essas são as mensagens que me permito transmitir através da minha arte", afirma.

Entre os principais temas da arte de Abe estão a identidade cultural, os revolucionários africanos e a migração, temas esses que vão estar em exposição em junho, no Palácio da Cultura de Treichville, em Abidjan (Costa do Marfim).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Café expresso quer reconhecimento por parte da UNESCO

Rock em tempo de guerra

Sala secreta de Miguel Ângelo abre ao público