Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Partido do Brexit" vai concorrer nas eleições europeias

"Partido do Brexit" vai concorrer nas eleições europeias
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Num evento realizado em Coventry (centro de Inglaterra), o atual eurodeputado britânico, que foi um dos principais rostos da campanha para a saída do Reino Unido da União Europeia ('Brexit'), afirmou que pretende fazer uma "revolução democrática" na política britânica com este novo partido (Brexit Party, na versão em inglês).

Farage salientou que este novo projeto político responde a um "desígnio" dos cidadãos, considerando que o Partido do Brexit será um "veículo político decente e respeitável", no qual os britânicos podem acreditar.

"Acho que o temos visto durante as últimas quatro semanas é a traição ao maior exercício democrático neste país", declarou Nigel Farage, numa referência ao novo adiamento da data para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), que foi fixada pelo bloco comunitário (e aceite pelo Governo britânico) para 31 de outubro deste ano.

Londres terá a opção de sair mais cedo, se conseguir que o acordo de saída negociado com Bruxelas seja aprovado pelo Parlamento britânico. Tal cenário significa que o Reino Unido terá provavelmente de realizar eleições para o Parlamento Europeu.

Na segunda-feira, antes do Conselho Europeu extraordinário que determinou o novo adiamento do "Brexit", o Governo britânico estabeleceu medidas para preparar uma participação nas eleições europeias a 23 de maio.

Reuters
Meias que Nigel Farage usou no comícioReuters

Nigel Farage esclareceu que esta nova força política não surge "simplesmente para lutar nas eleições europeias", frisando que o escrutínio europeu será "o primeiro passo do Partido do Brexit".

O reconhecido eurocético lembrou que se no passado afirmou que pretendia "provocar um terramoto político", agora tem a intenção de fazer "uma revolução democrática na política".

Também se mostrou dececionado em relação à gestão do executivo da primeira-ministra conservadora, Theresa May, do processo do "Brexit": "Somos leões liderados por burros".

O novo partido, frisou ainda Farage, será "profundamente intolerante com a intolerância" e irá representar toda a sociedade do país.

Durante o evento em Coventry, Farage apresentou vários dos 70 candidatos da lista do Partido do Brexit às europeias. Uma das candidatas é Annunziata Rees-Mogg, irmã do deputado conservador Jacob Rees-Mogg.

"A nossa democracia foi tão traída que senti que tenho de estar aqui hoje", disse Annunziata Rees-Mogg.

As eleições europeias 2019 vão ter lugar de 23 a 26 de maio.

Perante a possível participação do Reino Unido nas eleições europeias, uma sondagem publicada na quarta-feira, desenvolvida pela Hanbury Strategy e pelo "think-tank" (grupo de reflexão) Open Europe, atribuiu ao novo partido de Nigel Farage uma votação na ordem dos 10%, o que representaria que o Partido do Brexit seria a terceira força política mais votada, depois do Partido Trabalhista (38%) e do Partido Conservador (23%).

O antigo partido de Farage, o UKIP, apresenta 8% das intenções de voto, segundo a mesma sondagem.