A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O cinema europeu em Cannes

O cinema europeu em Cannes
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cannes é, nesta altura do ano, palco do festival internacional de cinema, mas também do Marché du Film, considerado o mais importante mercado de cinema do mundo, onde está presente o subprograma MEDIA do Europa Criativa, um instrumento da Comissão Europeia para apoiar o Cinema e Audiovisual europeus. 20 filmes que fazem parte da seleção oficial do festival, incluindo um terço dos que participam na competição, tiveram o apoio deste subprograma. Entre eles estão filmes de Pedro Almodóvar, Ken Loach e de Jessica Hausner.

A Comissão Europeia apresentou este ano, em Cannes, a primeira edição do Dia "Women on the Move", com destaque para a realizadora espanhola Carla Simón.

"Claro que ainda há um longo caminho a percorrer, porque também compilámos dados, que mostram uma desigualdade clara, que tem de de ser abordada", realçou Lucia Recalde, responsável da unidade "MEDIA" da Comissão Europeia.

O filme "Verão 1993" de Carla Simón, apoiado pelo subprograma MEDIA do Europa Criativa, foi galardoado na Berlinale e noutros festivais. "O MEDIA é um selo de qualidade que ajuda imenso quando se recorre aos fundos nacionais, pois se eles souberem que o MEDIA selecionou esse projeto, isso significa, de certa maneira, que é bom", afirmou a realizadora Carla Simón.

Para incentivar mais produções europeias, a União Europeia planeia impor uma quota mínima de 30% para video on demand. Está apenas a ser discutido como medir isso, se pelo número de horas, episódios, ou outra forma. Espera-se um acordo até ao final do ano.

"Quanto ao facto de haver uma quota para filmes europeus, penso que é super importante dar a possibilidade a estes filmes de aparecerem e de serem vistos pelo público", sublinhou Simón.

"Por agora, empresas como a Netflix e a Amazon exibem menos de 20% de trabalhos europeus e não há tempo a perder. A quota de 30% entrará em vigor em toda a União Europeia no outono do próximo ano. Será que isso vai encorajar muitas mulheres na área do cinema? Só o tempo o poderá dizer", destacou o enviado especial da Euronews ao Festival de Cannes, Chris Burns.