A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Ministério público italiano abre inquérito sobre "Gregoretti"

Ministério público italiano abre inquérito sobre "Gregoretti"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Ministério Público de Siracusa, na Sicília, abriu esta terça-feira um inquérito sobre o caso do navio Gregoretti, da Guarda Costeira italiana, que está detido no porto de Augusta, desde a noite de sábado, com 115 migrantes a bordo.

Segundo os "media" italianos, o do navio já foi ouvido pelos investigadores.

O Governo italiano mantém o braço-de-ferro com a União Europeia, insistindo que ninguém sai da embarcação até que Bruxelas assuma o comando da situação.

As autoridades europeias reiteram que estão em curso os contactos com os Estados-Membros para a distribuição dos migrantes.

O porta-voz do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados insiste que os Estados Europeus têm de se unir para desenvolver "um sistema que permita aos comandantes dos navios de salvamento, que transportam passageiros, ter clareza e previsibilidade imediatas sobre onde atracar." Charlie Yaxley sublinha que a ausência desse entendimento "pode, potencialmente, comprometer o próprio princípio do salvamento pois se os comandantes recearem ficar retidos no mar durante dias a fio, podemos assistir a uma situação em que começam a hesitar ou a atrasar a resposta aos pedidos de socorro num momento em que cada segundo pode contar".

Para já, apenas a Alemanha expressou disponibilidade para receber os migrantes do "Gregoretti".

Na segunda-feira, o Governo italiano autorizou o desembarque de 15 menores migrantes.

De momento, a bordo do "Gregoretti" não há famílias. Os migrantes são todos homens.