A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

EUA abrem investigação contra Google

EUA abrem investigação contra Google
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A gigante tecnológica Google está sob a mira da justiça nos Estados Unidos da América.

Cinquenta procuradores-gerais de 48 estados e dos distritos de Columbia e Porto Rico abriram uma investigação preliminar sobre as práticas comerciais da Google que, com o Facebook, domina a publicidade em linha nos Estados Unidos.

De acordo com a procuradora-geral da Florida, Ashley Moody, "a Google monitoriza o nosso comportamento em linha e capta informação de cada um de nós enquanto navegamos na Internet. Esta investigação irá, inicialmente, focar-se na captura dessa informação e se a Google se incorporou em todos os níveis das vendas de anúncios do mercado em linha para monopolizar esta indústria."

"A questão para nós, hoje, é se a Google se afastou dos seus princípios fundadores para não fazer o mal na sua busca e ímpeto incansável para ser o operador dominante no mercado", refere o procurador-geral do Utah, Sean Reyes

A Google tem sido acusada de impor cláusulas restritivas nos contratos com sítios de terceiros - retalhistas ou jornais em linha -, impedindo, assim, os concorrentes de colocarem anúncios contextuais nesses sítios.

Segundo a eMarketer, desde janeiro, as receitas de publicidade da Google totalizaram mais de 48 mil milhões de dólares, o equivalente a 37,2% do mercado dos Estados Unidos.