EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA abrem investigação contra Google

EUA abrem investigação contra Google
Direitos de autor 
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cinquenta procuradores-gerais de 48 estados e dos distritos de Columbia e Porto Rico abriram uma investigação preliminar sobre as práticas comerciais da Google que, com o Facebook, domina a publicidade em linha nos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

A gigante tecnológica Google está sob a mira da justiça nos Estados Unidos da América.

Cinquenta procuradores-gerais de 48 estados e dos distritos de Columbia e Porto Rico abriram uma investigação preliminar sobre as práticas comerciais da Google que, com o Facebook, domina a publicidade em linha nos Estados Unidos.

De acordo com a procuradora-geral da Florida, Ashley Moody, "a Google monitoriza o nosso comportamento em linha e capta informação de cada um de nós enquanto navegamos na Internet. Esta investigação irá, inicialmente, focar-se na captura dessa informação e se a Google se incorporou em todos os níveis das vendas de anúncios do mercado em linha para monopolizar esta indústria."

"A questão para nós, hoje, é se a Google se afastou dos seus princípios fundadores para não fazer o mal na sua busca e ímpeto incansável para ser o operador dominante no mercado", refere o procurador-geral do Utah, Sean Reyes

A Google tem sido acusada de impor cláusulas restritivas nos contratos com sítios de terceiros - retalhistas ou jornais em linha -, impedindo, assim, os concorrentes de colocarem anúncios contextuais nesses sítios.

Segundo a eMarketer, desde janeiro, as receitas de publicidade da Google totalizaram mais de 48 mil milhões de dólares, o equivalente a 37,2% do mercado dos Estados Unidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"