Última hora

Autoridades francesas confirmam indícios de radicalização

Autoridades francesas confirmam indícios de radicalização
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades francesas encontraram vários indícios de radicalização no autor do ataque de quinta-feira no Comando-Geral da Polícia em Paris, onde provocou a morte de quatro agentes. A investigação mostra que o ataque foi premeditado e efetuado com intenção de matar e o caso está a ser tratado como terrorismo.

Segundo Jean-François Ricard, Procurador da República, "vários testemunhos permitiram perceber que o autor do ataque teria aderido a uma versão radical do Islão. Foi possível perceber isto graças a vários elementos: a modificação de certos comportamentos em nome da religião, o desejo de evitar certos contactos com mulheres e a justificação dada a um colega para o atentado à redação do Charlie Hebdo em 2015."

Face a estas evidências, a direita francesa veio já exigir a demissão do ministro do Interior, Christophe Castaner. Não só porque se apressou a dizer que o atacante nunca tinha apresentado qualquer sinal de alerta, mas também porque se tratava de um agente administrativo com acesso a informação sensível na luta contra o Islão radical.

A investigação vira-se agora também para a esposa do atacante devido às mais de trinta mensagens de cariz religioso trocadas na meia hora que antecedeu o ataque e onde esta lhe dizia que agora, só deus o poderia julgar.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.