Última hora
This content is not available in your region

BRICS criticam "protecionismo" dos EUA

euronews_icons_loading
Cimeira dos BRICS em Brasília
Cimeira dos BRICS em Brasília   -   Direitos de autor  Pavel Golovkin via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente chinês foi a figura central da reunião das chamadas economias emergentes. Em Brasília, os chefes de Estado do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, acertaram o passo para uma estratégia comum no mercado mundial.

De dedo apontado para Washington, os líderes dos BRICS criticam o que chamam de protecionismo oportunista com motivações políticas. Sem nomear Donald Trump, Xi Jinping deixou claro que o Presidente dos EUA era o alvo. "Protecionismo e práticas de coação surgem em contraste com a tendência geral. Afetam o comércio e o investimento iternacional e intensificam a pressão negativa na economia mundial. Como participante direto na cadeia de valor mundial, acredito que todos os presentes sabem bem do que estou a falar," afirmou o chefe de Estado chinês.

Sem falar da Europa, os BRICS querem contrariar o protecionismo norte-americano. Na mesa está o reforço dos laços comerciais entre as 5 economias emergentes.