Última hora
This content is not available in your region

Rouhani promete justiça por derrube de avião

Rouhani promete justiça por derrube de avião
Direitos de autor
Ukrainian Presidential Press Office via AP
Tamanho do texto Aa Aa

O Irão promete levar à justiça os responsáveis pelo abate do avião da Ukrainian International Airlines. As autoridades do país admitiram que o despenhamento do avião na semana passada, que fez 176 mortos, foi causada pelo disparo de um míssil, depois de o avião ter sido confundido com um drone, em pleno braço-de-ferro com os Estados Unidos.

"O poder judicial deve formar um tribunal especial, com dezenas de peritos. Este não é um caso qualquer, é um julgamento que vai ser acompanhado em todo o mundo", disse o presidente Hassan Rouhani. Foram feitas várias detenções relacionadas com o caso.

A União Europeia aconselha, para já, as linhas aérea a evitar o Irão: "Com base na informação que temos e tendo em conta o clima atual, a nossa recomendação é que sobrevoar o Irão, a qualquer altitude, seja evitado até novas instruções. Esta é uma medida preventiva", anunciou o porta-voz da UE Stefan de Keersmaecker.

No Canadá, país de residência de grande parte das vítimas, o processo está a ser acompanhado de perto. Kathy Fox, presidente da autoridade canadiana para a segurança nos transportes (TSB), diz: "Há sinais de que o Irão está a deixar a TSB ter um papel mais importante que o habitual. Por exemplo, ao permitir aos investigadores da TSB participar no download e análise das caixas negras"-

No local do despenhamento estão também vários investigadores ucranianos. O avião, um Boeing 737-800, era praticamente novo e estava ao serviço da companhia ucraniana há apenas três anos. Este voo, entre as capitais do Irão e da Ucrânia, é muito utilizado como escala para o Canadá, onde vive uma importante comunidade iraniana.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.