Última hora
This content is not available in your region

Atletas e dirigentes criticam manutenção dos Jogos Olímpicos de Tóquio

euronews_icons_loading
Atletas e dirigentes criticam manutenção dos Jogos Olímpicos de Tóquio
Direitos de autor  Jae C. Hong/The Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

A decisão do Comité Olímpico Internacional (COI) de, por enquanto, não adiar os Jogos Olímpicos em Tóquio gerou uma onda de críticas.

Na rede social Twitter, Hayley Wickenheiser, Membro do próprio Comitê Olímpico Internacional, lembrou que esta crise do novo coronavírus é maior que as Olimpíadas".

A campeã mundial de heptatlo Katarina Johnson-Thompson explicou que está a preparar-se, mas que é impossível manter a mesma rotina".

A atual campeã olímpica de salto com vara Katerina Stefanidi é ainda mais dura nas críticas e acusa o COI de quer que se continue a arriscar a saúde dos atletas, das família e a saúde pública.''

O Comité Olímpico Internacional garante que, por enquanto, ainda não há motivos suficientes para adiar os Jogos Olímpicos. O COI garante, em comunicado, que “continua completamente comprometido com os Jogos Olímpicos Tóquio’2020″. A tomada de posição do organismo surge após uma reunião em videoconferência com as federações internacionais de desportos olímpicos.

As autoridades japonesas apoiam a decisão de manter a competição. O primeiro-ministro nipónico já tinha garantido que “continuam os preparativos para termos uns Jogos seguros, como planeado, a partir de 24 de julho”.

A decisão do Comité Olímpico Internacional contraria as de outros grandes organismos internacionais, que estão a adiar as competições. É o caso da UEFA, que decidiu não realizar o Europeu de Futebol este ano. O mesmo acontece com a Copa America. No ténis, o torneio de Roland Garros, que deveria realizar-se em maio, passou agora para final de setembro.