EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Covid-19: "Grande parte do mundo continua em risco", alerta OMS

Covid-19: "Grande parte do mundo continua em risco", alerta OMS
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Apenas um décimo da população mundial terá sido infetada com coronavírus. Mike Ryan, especialista da OMS, alerta para a vulnerabilidade ao vírus da maioria das pessoas.

PUBLICIDADE

Nove em cada dez pessoas permanecem vulneráveis ao coronavírus. O alerta foi dado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que reconhece os tempos difíceis que ainda estão pela frente.

"As nossas melhores estimativas atuais dizem-nos que cerca de 10 por cento da população global pode já ter sido infetada por este vírus. Há variações dependendo do país. Varia das zonas urbanas para as rurais. Varia entre grupos difer entes. Mas grande grande parte do mundo continua em risco,", advertiu o diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS, Michael Ryan

Entretanto, na Europa, as cidades mais afetadas vão aumentando as restrições.

Em Paris, a partir desta terça-feira,os bares ficam encerrados, as festas estão proibidas, depois de a região ter sido colocada em alerta máximo. As novas restrições na capital francesa vão estar em vigor pelo menos durante as próximas duas semanas.

O chefe da polícia de Paris, Didier Lallement, afirmou que "a epidemia está a propagar-se muito rapidamente" e defendeu ser preciso "contê-la agora, antes que o (...) sistema de saúde rebente.

Madrid está em confinamento parcial desde sexta-feira passada. Lojas e restaurantes fecham mais cedo, as viagens para dentro e fora da cidade e outros nove municípios estão limitadas.

Espanha registou mais de 23 mil infestados com coronavírus durante o fim-de-semana, 28% desses casos ocorreram em Madrid.

A evolução da pandemia no país está a preocupar o minstro da Saúde espanhol, Salvador Illa, que, em conferência de imprensa, disse acreditar que " as próximas semanas vão continuar a ser (...) muito difíceis".

Em contracorrente. Itália registou desde domingo menos casos. No entanto, o ministério da Saúde italiano alerta para a menor quantidade de testes realizados durante esse período.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Itália impõe uso de máscara no exterior

Por que é que a questão catalã está a afetar a campanha para as eleições europeias em Espanha?

O que está por trás da última polémica de Milei com o governo espanhol?