Última hora
This content is not available in your region

Arrancam audiências sobre invasão ao Capitólio nos EUA

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Arrancam audiências sobre invasão ao Capitólio nos EUA
Direitos de autor  Jim Bourg/AP
Tamanho do texto Aa Aa

Arrancaram esta terça-feira as audiências da Comissão de Inquérito à invasão de 6 de janeiro ao Capitólio, em Washington, nos EUA.

A primeira sessão centrou-se em ouvir o testemunho de quatro dos polícias que defenderam o prédio contra a multidão de apoiantes de Donald Trump, o, na altura, presidente.

Policial Michael Fanone, do Departamento da Polícia Metropolitana contou que estava constantemente a "tirar pessoas de cima", para "criar algum espaço", e que se lembra de estar a fazê-lo enquanto lhe tentavam roubar a arma. "Lembro-me de um deles nitidamente me empurrar constantemente para tentar roubar-me a arma", contou-

No dia 6 de janeiro, mais de 800 apoiantesde Donald Trump cercaram e invadiram o capitólio. Forçaram a passagem, agrediram a polícia, tomaram conta do espaço e até tiros foram disparados. Tudo por uma alegada incitação Donald Trump. Um polícia morreu e um manifestante também perdeu a vida.

Nos testemunhos prestados esta terça feira, os policias envolvidos descrevem o episódio como um "campo de batalha" de horror e medo, um "ataque coordenado" para "perturbar a democracia".

Numa conferência, a secretária de Imprensa da Casa Branca descreveu o primeiro dia como uma "memória do vergonhoso 6 de janeiro", que marcará "durante algum tempo" os policias que fizeram parte da invasão.

Até agora, foram condenados três manifestantes por "crimes de terrorismo".

A audiência foi também uma luta de argumentos entre democratas e republicanos. Os democratas não pouparam criticas ao facto de o partido republicano ter tentado evitar que esta comissão acontecesse.