EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

"Não há prazo no nosso trabalho"

"Não há prazo no nosso trabalho"
Direitos de autor Sgt. Samuel Ruiz/U.S. Marine Corps via AP
Direitos de autor Sgt. Samuel Ruiz/U.S. Marine Corps via AP
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Estados Unidos garantem retirada de pessoas do Afeganistão depois do dia 31 de agosto

PUBLICIDADE

Centenas de pessoas continuam fora do aeroporto deCabul na esperança de uma oportunidade de deixar o Afeganistão em segurança. Apesar da garantia dos talibãs, de que será possível retirar cidadãos dos Estados Unidos (EUA), de países terceiros e “afegãos em risco” depois de agosto, os países ocidentais aceleram as saídas do país.

Esta quarta-feira, o secretário de Estado dos EUA garantiu que não há data para a retirada completa dos norte-americanos e cidadãos que apoiaram a missão de Washington no Afeganistão. Antony Blinken disse que cerca de 1.500 norte-americanos podem estar à espera de um voo.

Alguns afegãos estão a ser afastados do aeroporto por forças americanas que controlam os portões, apesar de terem aprovação para voos. "Cabe a 100% aos afegãos tentar lutar para sair", diz Sunil Varghese, diretor político do Proje****to Internacional de Assistência aos Refugiados. "Aqueles que têm crianças pequenas e grávidas estão dispostos a correr riscos".

Em Cabul, a vida continua num impasse. Muitos trabalhadores da cidade ainda não regressaram ao trabalho e muitas pessoas, especialmente as mulheres, permanecem dentro de casa com medo. 

Os talibãs garantem que as décadas de guerra terminaram e que não haverá ataques de vingança contra os opositores. Mas muitos afegãos desconfiam do grupo, e tem havido relatos de execuções e outros abusos em áreas controladas pelo novo governo.

Para milhares de pessoas, neste momento, o único objetivo é estar a bordo de um dos voos que vão deixam o país antes do dia 31.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afeganistão tenta regressar à normalidade

Três turistas espanhóis mortos a tiro no Afeganistão

Novo sismo de 6.3 no Afeganistão dias após um outro que fez mais de mil mortos