This content is not available in your region

"Ousar Mais Progresso" pronta para governar

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro  com Agências
euronews_icons_loading
Olaf Scholz (SPD), Christian Lindner (FDP) e Robert Habeck (Verdes)
Olaf Scholz (SPD), Christian Lindner (FDP) e Robert Habeck (Verdes)   -   Direitos de autor  Michael Kappeler/DPA via AP

Social-democratas (SPD), Verdes e Liberais (FDP) formalizaram esta terça-feira, em Berlim, o acordo de coligação para governar a Alemanha nos próximos anos. Uma aliança que tem logo no título um caderno de encargos: "Ousar Mais Progresso".

Olaf Scholz vai ser investido na quarta-feira como o nono chanceler da Alemanha do pós guerra. Depois do combate à pandemia, as prioridades passam por reforçar o combate às alterações climáticas, aumentar o investimento e modernizar a economia, mas sem agravar a dívida pública.

"O importante é que nos baseamos nos esforços que a Alemanha tem feito nos últimos anos para criar uma União Europeia forte e soberana. Queremos sublinhar ainda mais esta questão. O futuro do mundo será moldado por vários países muito influentes - não apenas dois. E é por isso que é muito importante que a Europa possa agir forte e soberana neste mundo futuro," afirmou o líder do SPD.

Scholz não quer que a Alemanha perca a posição de força motriz da Europa, mas os cordões da bolsa estão agora na mão dos liberais.

Christian Lindner, futuro ministro das Finanças, avisa que é para "cumprir a exigência da lei constitucional de um orçamento estruturalmente equilibrado, com um "travão na dívida" novamente a partir de 2023". O líder do FDP garante no entanto que se quer "renunciar a cargas fiscais mais elevadas; a taxas de imposto mais elevadas. Dentro destas balizas, financiaremos os projectos que a coligação acordou no tratado da coligação".

Na divisão das principais pastas no executivo, o Partido dos Verdes ficou com a tutela da Economia, Ambiente e Negócios Estrangeiros. Os três parceiros da coligação "Ousar Mais Progresso" têm 416 dos 736 lugares no parlamento.

Quando tomar posse esta quarta-feira, o novo governo inaugura uma nova era na Alemanha. Olaf Shcolz vai suceder a Angela Merkel, que liderou o executivo alemão nos últimos 16 anos.