This content is not available in your region

Civis esperam nova trégua humanitária anunciada pela Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Residentes de Kiev procuram abrigo em estações de metro da capital ucraniana
Residentes de Kiev procuram abrigo em estações de metro da capital ucraniana   -   Direitos de autor  DIMITAR DILKOFF/AFP

A Rússia anunciou para hoje uma nova trégua humanitária para permitir a evacuação de cidades ucranianas sob bombardeamento. A guerra na Ucrânia fez, até ao momento, mais de dois milhões de refugiados, segundo a ONU.

Esta terça-feira, o estabelecimento de um corredor humanitário permitiu a saída de cerca de cinco mil pessoas da cidade de Sumy, junto à fronteira com a Rússia, em direção ao centro do país, incluíndo um grande número de estudantes estrangeiros.

Mas em Mariupol, uma coluna de autocarros destinada a levar assistência humanitária e fazer sair civis regressou vazia depois de, segundo o governo ucraniano, ter sido atacada por forças russas.

Cerca de 300.000 pessoas continuam bloqueadas em Mariupol, onde os bombardeamentos têm sido constantes. 

A cidade encontra-se numa situação descrita como "catastrófica" e está sem água corrente, aquecimento, rede sanitária e serviços telefónicos há vários dias. 

Um grande número de famílias procura refúgio das bombas e combates em caves.

O Exército russo negou ter disparado contra colunas humanitárias e acusa a Ucrânia de bloquear os esforços de evacuação.

O general russo Mikhail Mitzintsev, chefe do centro nacional de gestão da Defesa, sugeriu o estabelecimento de uma linha de comunicação direta entre os dois países para coordenar as evacuações.

Entretanto, os subúrbios de Kiev continuam sob bombardeamento e a capital espera um assalto russo a todo o momento. 

Um grande número de residentes tem procurado refúgio debaixo de terra, nas estações de metro da cidade.